Responsabilidade, desenvolvimento social e preservação do meio ambiente são pilares do negócio da Cervejaria Ambev. Nas unidades da cervejaria em Minas Gerais, diversas iniciativas têm contribuído para a preservação dos recursos naturais e o desenvolvimento das comunidades. Nos últimos cinco anos, a companhia destinou mais de R$ 1 bilhão para projetos voltados a esse fim em sua operação no país, além de integrar a Rede Brasil de Pacto Global das Nações Unidas, que reúne empresas que estão dispostas a trabalhar juntas para gerenciar negócios de forma sustentável, em parceria com a comunidade internacional.

A usina solar de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, inaugurada neste ano, foi implantada para gerar energia limpa suficiente para abastecer 100% das operações do Estado, dando mais um passo em direção à meta de ter todas as unidades brasileiras alimentadas por fontes renováveis. O projeto funciona por meio de geração distribuída, ou seja, a energia gerada pela planta, equivalente à quantidade utilizada nos CDDs, é disponibilizada para a grade pública do Estado. Além disso, a usina contribuiu para que 1.910 toneladas de CO2 evitem de ser emitidas, garantindo uma operação cada vez mais sustentável.

Na cervejaria de Sete Lagoas, na região Central, desde novembro do ano passado, a reutilização do efluente gerado na fabricação de cerveja está permitindo reduzir o impacto ambiental com a geração de 10 Kw/h de energia limpa e renovável, para ser utilizada na própria indústria. Por meio de um gerador, a energia produzida é capaz de movimentar diariamente 10 motores de parte da estação de tratamento de efluentes. Outra iniciativa implantada na cidade, o projeto Bacias, em parceria com a WWF Brasil, visa promover a recuperação ambiental e sensibilizar a comunidade que utiliza recursos da bacia do Ribeirão Jequitibá, a fim de melhorar a recarga hídrica e reverter os riscos de indisponibilidade de água na região.

“Sustentabilidade socioambiental é o nosso negócio e o envolvimento com a causa é genuíno, o que nos permite tantas iniciativas no Brasil e aqui em Minas”, explica o gerente de sustentabilidade da Cervejaria Ambev, Filipe Barolo.

Outra iniciativa importante foi a redução em 50% da quantidade de água usada na produção de cervejas, nas últimas duas décadas, o suficiente para abastecer a cidade de Florianópolis por mais de seis meses. Os dados são de 2018 e mostram que a companhia terminou o ano usando 2,86 litros de água para fazer um litro de cerveja – uma diminuição de 2,7%, comparado com 2017. Nas cidades mineiras de Uberlândia e Sete Lagoas os índices são ainda menores: 2,12 e 2,52 litros de água usados, respectivamente, para fazer um litro de cerveja.

Desenvolvimento sustentável – Alinhado com os objetivos de Desenvolvimento Sustentável 1, 4, 8 e 17 da ONU, que buscam um mundo mais inclusivo e sustentável, a Cervejaria Ambev desenvolveu o VOA, um programa de mentoria em gestão em que os funcionários da companhia contribuem, de maneira voluntária, com conhecimentos em diferentes áreas para que ONGs de todo o país se estruturem e ampliem seu impacto na sociedade.

Este ano, foram selecionadas 52 ONGs brasileiras, entre mais de 300 inscritas, entre elas as mineiras Instituto Severino Ballesteros, Embaixadores de Minas, Instituto Gil Nogueira, Associação Jaibense de Apoio ao Menor e CUFA Minas – Central Única das Favelas, que atuam nas áreas da educação, assistência social e geração de emprego.