Crédito: REUTERS/Paulo Whitaker

De acordo com o relatório da Absolar, os 12 MW de potência instalada em Uberlândia estão presentes em 812 unidades consumidoras com geração distribuída. Outros 1.023 consumidores são beneficiados pela transferência de crédito da energia produzida. Entre essas unidades com geração de energia solar está a cervejaria da Ambev. No solo da operação estão sendo instalados 4.905 painéis solares com capacidade de geração de 1.815 kWp. A energia produzida por essa usina será suficiente para suprir a demanda dos 13 centros de distribuição da Ambev em Minas Gerais.

O diretor de Sustentabilidade e Suprimentos da Ambev, Fernando Petersen, afirma que a empresa estudou diferentes locais para instalar o projeto e encontrou em Uberlândia o cenário ideal.

“É uma área com grande incidência de sol e que tinha espaço disponível. Nossa meta é que, até 2025, todas as operações da Cervejaria Ambev no País utilizem energia vinda de fontes renováveis, seja solar, eólica ou outra mais apropriada para cada região”, afirma.

A usina em Uberlândia será construída pela empresa paranaense Alexandria, que vai assumir o investimento de R$ 7 milhões. Em troca, ela recebe uma remuneração mensal advinda de parte da economia que a Ambev terá com energia elétrica durante 10 anos. Depois desse prazo, a usina é cedida definitivamente à Ambev.

Outro exemplo de empresa que aderiu à produção de energia solar é o Praia Clube, um dos maiores clubes da América Latina, localizado também em Uberlândia. A usina com 156 placas foi instalada sobre o telhado da academia de musculação. Ela produzirá energia suficiente para abastecer a academia e ainda haverá um excedente que será usado em outras áreas do complexo. A usina foi construída pela Alsol Energias Renováveis, empresa acelerada pelo grupo Algar. (TB)