Crédito: Pixabay

Com pouco menos de um ano para se adaptarem à nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), executivos de diferentes segmentos no Brasil ainda se sentem perdidos diante das alterações exigidas pela legislação. Uma pesquisa realizada pela Serasa Experian, em março deste ano, ouviu gestores de 508 empresas e concluiu que 85% deles não estão preparados para a nova lei.

Diante desse cenário, o Instituto Aquila lançou uma solução diferenciada de consultoria, que leva em conta não apenas questões jurídicas e de tecnologia, mas também os processos, que precisam se adequar à LGPD.

O consultor do Instituto Aquila, Marco Antonio Venâncio Mendes, explica que, desde que a lei foi sancionada, diversos escritórios de advocacia e empresas de tecnologia passaram a oferecer serviços de consultoria para readequação das empresas. Mas, segundo ele, esses serviços são focados, principalmente, em diagnósticos que apontam os riscos jurídicos ou as adaptações do ponto de vista de tecnologia.

O executivo explica que, apesar de essas propostas serem importantes, elas não resolvem todo o problema das empresas, que ainda precisam entender como essas mudanças afetarão seus processos no dia a dia.

“Cada empresa tem uma forma de atuação e de coleta, armazenamento e transferência de dados e, por isso, cada um desses momentos precisa ser analisado. É preciso saber como esses dados são coletados, quais, de onde vêm, quem coleta, para onde vão, entre outras informações”, explica.

Ele explica que a consultoria do Instituto Aquila é oferecida em duas fases, sendo a primeira o diagnóstico. É justamente nessa fase que serão levantadas as informações sobre origem e tratamento dos dados nas empresas. A partir dessa informação, os consultores fazem uma avaliação de riscos. De acordo com o consultor, esse processo dura cerca de quatro meses e tem um custo que chega a ser 30% inferior ao praticado no mercado.

Na segunda fase da consultoria, os consultores oferecerem um projeto de redesenho dos processos para adequação à LGPD. O processo dura cerca de oito meses. “Esse é o nosso principal diferencial, pois o que se encontra no mercado hoje é uma consultoria que entrega apenas um diagnóstico. O documento que elas apresentam aos clientes diz que é necessário regularizar os processos de captação de dados, mas não diz como. Nós entramos nos processos”, diz.

A solução do Aquila foi criada no início do ano e já vem sendo experimentada por empresas, desde junho. De acordo com Mendes, ela é oferecida a empresas de qualquer segmento e qualquer porte. O custo do serviço depende do tamanho da empresa e da quantidade de processos a serem redesenhados.

O consultor lembra a importância de as empresas acelerarem o processo de regularização, tendo em vista o curto prazo de adequação e as graves sanções a quem não estiver de acordo com a lei. “Quando a LGPD entrar em vigor em agosto do ano que vem, a fiscalização será rigorosa. As punições para quem estiver irregular vão desde uma advertência simples até multa de 2% do faturamento bruto da empresa ou 50 milhões por infração”, alerta.