Crédito: Divulgação

A arrecadação da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem) em 2019 segue em alta em Minas Gerais. No acumulado do ano até agosto, o recolhimento dos royalties da mineração somaram R$ 1,222 bilhão, contra os R$ 793 milhões apurados no mesmo período de 2018, uma elevação de 54% entre os intervalos. As informações foram divulgadas na sexta-feira (13) pela Agência Nacional de Mineração (ANM).

No Brasil, a arrecadação da Cfem nos primeiros oito meses do ano somou R$ 2,842 bilhões, um incremento de 54,2% frente aos R$ 1,842 bilhão registrados em igual período de 2018. A maior parte do valor arrecadado no País, 46,81% foi registrada no estado do Pará, com R$ 1,330 bilhão. A segunda posição coube a Minas Gerais, com 43,01% do valor, totalizando R$ 1,222 bilhão.

Em agosto, o recolhimento em Minas Gerais foi de R$ 145,1 milhões, o que representou uma alta de 27,3% frente ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados R$ 113,9 milhões, e estabilidade, com ligeiro incremento de 0,27% frente a julho deste ano, com valor apurado de R$ 144,7 milhões. No oitavo mês do ano, o Brasil arrecadou R$ 387,5 milhões.

Municípios – As cidades-sede da atividade mineradora no Estado, como Brumadinho (RMBH), Congonhas (Central), Itabira (Central), Nova Lima (RMBH) e São Gonçalo do Rio Abaixo (Central), apresentaram crescimento no acumulado de janeiro a agosto frente a igual período de 2018. Mas se considerado apenas o mês de agosto, somente Congonhas e Itabira registraram incremento.

No acumulado do ano, o município com o maior recolhimento da Cfem foi Congonhas, com R$ 181,2 milhões, alta de 85,6% frente aos R$ 97,6milhões no mesmo período de 2018. Logo depois vem Nova Lima, com R$ 155 milhões, incremento de 48,8% em relação aos R$ 104,1 milhões apurados nos primeiros oito meses do ano passado. Itabira aparece com o terceiro maior recolhimento, de R$ 142,7 milhões, incremento de 40,1% ante os R$ 101,8 milhões observados em igual intervalo do ano anterior.

São Gonçalo do Rio Abaixo recolheu no acumulado do ano R$ 87,6 milhões, superando em 33,1% o resultado de igual período de 2018, de R$ 65,8 milhões. Do grupo dos cinco municípios, Brumadinho foi o que apresentou a mais baixa arrecadação da Cfem de janeiro a agosto deste ano, totalizando R$ 54 milhões, alta de 42,1% ante os R$ 38 milhões na comparação com o mesmo intervalo do ano passado.

Agosto – No mês de agosto, Congonhas recolheu R$ 32,7 milhões com a Cfem, superando em 109,6% o valor do mesmo mês de 2018, que foi de R$ 15,6 milhões. Logo depois vem Itabira, com R$ 19,6, milhões, alta de 53,1% ante os R$ 12,8 milhões em agosto de 2018; Nova Lima, com R$ 11,7 milhões, registrou queda de 24% frente aos R$ 15,4 milhões de agosto do ano passado.

Em São Gonçalo do Rio Abaixo, o recolhimento foi de R$ 10,5 milhões, recuo de 3,6% em relação aos R$ 10,9 milhões ante agosto de 2018. Brumadinho registrou R$ 4,8 milhões, queda de 21,3% na comparação com igual mês do ano passado, quando o valor alcançou R$ 6,1 milhões.

Mineral – Do total apurado em Minas no acumulado do ano, R$ 557,5 milhões foram gerados pela exploração do minério de ferro, o que representou alta de 64,2% frente a igual período do ano passado, quando foram registrados R$ 339,5 milhões. No período, a produção de ouro rendeu R$ 52,3 milhões, incremento de 22,4% ante os R$ 42,7 milhões em igual intervalo do ano passado.