O ranking “Cidades Amigas da Internet 2019”, divulgado pela consultoria Teleco, mostra a necessidade de atualização das leis municipais para a instalação de antenas. Belo Horizonte ficou entre as cinco últimas colocadas, ocupando a 97ª posição dos 100 municípios brasileiros que estimularam a oferta de serviços de telecomunicações por meio de políticas e ações públicas de incentivos à implantação da infraestrutura, especialmente para a instalação de antenas de celular e internet móvel.

A cidade paulista São José dos Campos conquistou a primeira colocação, desbancando Uberlândia, que foi líder nas três últimas edições do levantamento e, neste ano, ficou com o segundo lugar. Depois de atualizar a legislação, Porto Alegre foi o destaque da edição 2019, passando da 80ª para a 4ª posição.

Junto com a capital mineira, Brasília, Florianópolis e São Paulo são as principais cidades cujas legislações dificultaram a implantação dos equipamentos necessários para a expansão de serviços de telecomunicação, segundo o ranking.

Na avaliação do diretor do Sinditelebrasil, Ricardo Dieckmann, o licenciamento necessário para a instalação de infraestrutura em Belo Horizonte prevê dificuldades praticamente intransponíveis.

“Enquanto em outros municípios recebemos ofícios solicitando a instalação de antenas, em Belo Horizonte precisamos pagar pedágio. É necessário, por exemplo, plantar árvores, doar material de construção, o que não atende ao interesse do cidadão, que quer um serviço de qualidade, com mais velocidade e cobertura”, diz.

Cidades Inteligentes – Além de aumentar a velocidade da internet para os usuários, Dieckmann destaca que a tecnologia 5G vai trazer uma série de outros serviços, muitos deles ligados ao conceito de Cidades Inteligentes e que podem resultar em mais segurança e benefícios para a gestão das cidades. Nesse contexto, ele considera que a Capital pode ser prejudicada.

“Se a dificuldade de legislação junto à prefeitura continuar, não só o cidadão vai perder. Sem uma rede robusta de telecomunicações, que vai melhorar com o 5G, a administração de uma cidade do tamanho de Belo Horizonte perde a oportunidade de usufruir de instrumentos de Cidade Inteligente, como monitoramento de semáforos, iluminação e deslocamento do transporte”, afirma.

Além de Belo Horizonte e Uberlândia, entre as cidades mineiras que fazem parte do ranking em 2019, Ribeirão das Neves foi a 8ª colocada, Juiz de Fora foi a 27ª, Uberaba ficou em 32º lugar, Contagem em 38º, Betim ocupou o 59º lugar, Governador Valadares o 84º e Montes Claros foi a 87ª colocada.