Halim Lebbos e Antonio Celso: união supermercado-indústria pode ser uma boa aposta - Crédito: Divulgação

Fruto da parceria entre o supermercado Verdemar e a Backer, a cerveja artesanal Bernardyńskie volta a ganhar destaque em Minas Gerais. Na última semana, ela foi premiada como a melhor do mundo na categoria Speciality Beer/Heritage Beers no World Beer Awards, que é o prêmio dos melhores estilos de cerveja no mundo. Com vendas acima da média, a cerveja elaborada pelas duas empresas mineiras mostra que a estratégia da união supermercado-indústria pode ser uma boa aposta.

O superintendente comercial e de marketing do Verdemar, Antonio Celso, afirma que o supermercado já desenvolveu diversos produtos em parceria com a indústria, como produtos lácteos, sucos e sorvete. Segundo ele, a estratégia tem trazido resultados interessantes para o supermercado, sendo a cerveja Bernardyńskie uma das principais provas disso.

“Quando colocamos nossa cerveja na prateleira, a venda dela chegou a dobrar nos dois meses subsequentes. O desempenho permaneceu positivo e, hoje, ela é a líder em vendas nas cervejas de sua faixa de preço, que é R$ 11”, afirma.

Desde o lançamento da cerveja, foram produzidos 50 mil litros, o que equivale a cerca de 83 mil garrafas.

O executivo do Verdemar destaca que o prêmio de melhor cerveja em sua categoria é motivo de comemoração. Ele acredita que as vendas devem crescer ainda mais por conta disso, mas destaca que a premiação tem um significado especial para ele justamente por mostrar a eficiência dessa estratégia que envolveu a parceria com a Backer. Segundo

Celso, a ideia surgiu no momento em que o Verdemar preparava suas ações de comemoração dos 25 anos de operação.

“Eu estava reunido com o sócio da Backer, Halim Lebbos, e ele me falou dos prêmios que a cervejaria já tinha. Foi quando pensei que ter uma cerveja comemorativa dos 25 anos do Verdemar seria uma inovação”, relata.

O superintendente destaca que a parceria reforçou o compromisso do supermercado com o público da cerveja artesanal, tendo em vista que a marca sempre fez questão de trazer diversidade de rótulos mesmo quando a bebida ainda não “era uma febre” no Estado.

“Há seis anos, a cerveja artesanal representava 2% do nosso estoque de cerveja e hoje chega a 40%”, diz.

Celso afirma que a meta do supermercado é continuar operando a partir dessa ideia de bom relacionamento com a indústria. Ele explica que isso envolve lançamento de produtos exclusivos, mas também outros projetos como coleta de dados de consumo para análise de mercado e auxílio na importação de produtos.