Na edição deste ano da maior comenda do agronegócio de Minas Gerais, foram homenageadas 18 pessoas e instituições que prestaram relevantes serviços ao setor rural do Estado - Crédito: Faemg / Divulgação

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, esteve, na última quinta-feira (18), em Belo Horizonte, para receber a grande medalha do Mérito Rural concedida pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), e destacou, durante o evento, que o trabalho de sua pasta tem sido direcionado à busca pela desburocratização dos processos e à abertura de novos mercados para os produtos da agricultura e pecuária do País.

Tereza Cristina foi a grande homenageada da 11ª edição da maior comenda do agronegócio mineiro. A premiação é promovida, anualmente, pelo Sistema Faemg em comemoração ao Dia do Produtor Rural Mineiro. Em 2019, foram homenageadas 18 pessoas e instituições que prestaram relevantes serviços ao setor rural.

No evento, a ministra reforçou que uma das principais frentes de trabalho do Mapa é a desburocratização dos processos, o que é considerado fundamental para o avanço das atividades e para a recuperação da economia nacional.

“Estamos no Mapa tentando destravar as amarras do setor. É uma missão difícil, mas que nos dá muito prazer quando sentimos que estamos fazendo algo bom para o País. Vivemos um momento muito importante e diferente no País, no qual conseguimos ter esperança. Tenho andado o País todo e sinto que os brasileiros estão imbuídos em fazer nosso País voltar a dar certo. É um trabalho árduo e difícil, tem muita coisa para ser feita e tem que ser rápido”, destacou.

Um dos principais desafios é em relação às questões ambientais. A ministra ressaltou que o meio ambiente é importantíssimo e é fundamental para a agropecuária, por isso, não pode haver divisão no País.

“A agricultura e a pecuária têm que andar juntas com o meio ambiente, o que é feito com uma produção sustentável. Não existe pobreza que preserve, temos que preservar com riquezas”, explicou.

Mercosul-UE – O futuro dos setores produtivos da agricultura e da pecuária é visto com otimismo, mas o Brasil ainda precisa avançar muito em relação ao comércio mundial. Segundo Tereza Cristina, o acordo firmado entre a União Europeia e os países do Mercosul será muito positivo para o País, mas é preciso preparação.

Além disso, outras oportunidades estão se abrindo. Exemplo disso são os casos de Peste Suína Africana (PSA) identificados na China, o que abriu boas chances para o Brasil atender a demanda deixada pelos chineses, que são os maiores produtores e consumidores da carne suína. A oportunidade de ocupar o espaço se deve à qualidade e sanidade do produto nacional.

“Tenho feito viagens internacionais para abertura de mercados e vejo o quanto podemos avançar nos negócios, mas também vejo como somos tímidos em negociar. Estamos em um momento novo no País. O acordo com a União Europeia vai abrir uma série de oportunidades para o País e precisamos nos preparar. Nós temos chances enormes, basta trabalharmos e termos juízo. O governo vai entrar com política pública onde for necessário. Temos muitas oportunidades na Ásia, devido à PSA. É ruim para eles, mas uma oportunidade para nós. Temos um sistema de produção eficiente, mas precisamos aprender a vender e a agregar valor”, explicou.

Selo Arte – Minas Gerais, segundo Tereza Cristina, tem papel fundamental na produção agropecuária do País, principalmente, pela diversidade produtiva e por estar à frente e apoiando importantes projetos. Um dos exemplos citados é na produção artesanal de itens de origem animal, como os queijos artesanais.

Na última quinta-feira, foi sancionado, pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, o decreto que cria o Selo Arte, medida que teve grande apoio do setor produtivo mineiro. A certificação permite a comercialização de produtos artesanais de origem animal para outros estados, o que era proibido até então.

De acordo com a ministra, a legislação brasileira tem que contribuir para o empreendedorismo, que é responsável pela geração de renda e empregos.

“Durante o evento que sancionou o Selo Arte, tinham representantes dos produtores de queijos que ganharam 56 prêmios na França. Os queijos estavam confinados pela burocracia do Mapa, pela burocracia dos estados e, isso, não pode mais acontecer. Não podemos deixar o Brasil fechado por falta ou excesso de legislação. Temos que ser facilitadores do empreendedorismo”.

Governo garante esforço para agilizar licenças

Romeu Zema afirmou que governo será amigo de quem produz – Crédito: Faemg Divulgação

O potencial e a contribuição positiva do agronegócio para a recuperação da economia estadual têm feito com que o governo do Estado busque soluções para entraves do setor.

Durante o evento da Faemg, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, disse que está trabalhando para agilizar os processos de licenciamentos travados no Estado, principalmente, os ambientais. Com auxílio das polícias, estão sendo inibidas as invasões de terras.

“Desde minha campanha, tenho dito, exaustivamente, que meu governo será amigo de quem produz, trabalha, investe e gera empregos. Não poderia ser diferente em relação a quem faz isso no campo. Sei que os produtores rurais ainda enfrentam dificuldades adicionais e que conheço perfeitamente. Temos trabalhado no que é possível, na frente ambiental, para agilizar, simplificar e desburocratizar o que for preciso. Nos últimos anos, o Estado esqueceu que ele tem que ser apoio e não obstáculo para quem produz”.

Outro assunto priorizado no Estado tem sido a regularização fundiária. “Quero ser o governador que mais títulos de terra regularizou. Somente assim vamos conseguir proporcionar o aumento na produção”, disse Zema.

Simões enaltece persistência do produtor

Roberto Simões, Tereza Cristina, João Martins e Romeu Zema durante cerimônia de premiação – Crédito: Faemg Divulgação

Na cerimônia de entrega da Medalha de Mérito Rural, evento que tem como objetivo comemorar o Dia do Produtor Rural e homenagear as pessoas e entidades que fazem um trabalho positivo para o setor, o presidente do Sistema Faemg, Roberto Simões, destacou a importância da persistência do produtor rural em seguir produzindo, mesmo enfrentando diversos desafios e contribuindo para o desenvolvimento do Estado e do País.

As expectativas de Simões em relação ao setor são positivas, principalmente com a aprovação da reforma da Previdência, em 1º turno, que deverá puxar as demais, como a tributária.

Para o presidente do Sistema Faemg, o trabalho da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, em relação à abertura de novas oportunidades no mercado mundial para os produtos agropecuários também irá estimular o crescimento do setor.

“Passamos por momentos difíceis, mas isso, para nós, tem funcionado mais como estímulo, como oportunidade, e esperamos que agora, finalmente, ingressemos em uma era de reformas, que serão bem sucedidas e que novos tempos começarão com o desenvolvimento e a retomada do caminho. A celebração do acordo União Europeia com Mercosul é um fato importantíssimo para nosso setor. Por isso, esperamos que, daqui para frente, tenhamos bons negociadores brasileiros para nos ajudar a compor esse acordo, que, certamente, vai estimular o nosso setor ainda mais”, disse Simões.

O trabalho da ministra à frente do Mapa também é reconhecido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). “A agropecuária precisava da condução de uma pessoa como a ministra Tereza Cristina, com equilíbrio, serenidade e foco de resultado”, disse o presidente da CNA, João Martins.

Para manter a competitividade e atender à demanda do mercado internacional, o agronegócio de Minas Gerais tem como desafio se preparar para mudanças importantes, como a entrada no mundo digital.

“Já temos habilidades técnicas, agora, passaremos para um mundo novo, do controle de dados, dos grandes volumes de informação, da digitalização das atividades. Esse será o grande salto da agricultura”, explicou o presidente do Sistema Faemg.

HOMENAGEADOS DO ANO

Grande Medalha
• Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias 

Técnico-Científica
• José Braz Matiello 

Comunicação
• Miguel Daoud 

Medalha Especial
• Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais 

Produtores Rurais
• Adriel Guedez Azambuja (Gurinhatã)
• Alex Mussi (Santa Juliana/Nova Ponte)
• Derli Trindade e Rosângela Trindade (Perdões)
• Geraldo Elísio dos Santos (Martinho Campos)
• José Marcelo Araújo (Campos Gerais)
• Magnólia Martins da Silva (Monte Alegre de Minas)
• Nuno Casassanta (Janaúba/Porteirinha/Nova Porteirinha)
• Rodrigo Pinto Canabrava (Bocaiúva)
• Thiago Soares Fonseca (Uberlândia)
• Vilmar Pereira Pires (Nova Ponte) 

Sindicatos Rurais
• Bom Despacho
• Itabira
• Mar de Espanha
• Santa Maria de Itabira