Ideia é de que a Capital se torne um destino capaz de ser bom para moradores e turistas | Crédito: Divulgação

A segunda edição do Seminário Cidades e Destinos Turísticos Inteligentes, evento que faz parte do “fuTURISMO – Programa de Pesquisa e Inovação Turística”, realizado pela Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur), no auditório da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), no hipercentro, ontem e hoje, tem como objetivo estimular e promover o debate sobre as políticas públicas e sobre as iniciativas de mercado voltadas para o tema das cidades e dos destinos turísticos inteligentes.

A programação, através de painéis e workshops, trabalhou temas como “As transformações digitais e o futuro do turismo urbano” e “As práticas inovadoras e os destinos turísticos gastronômicos”. Durante o evento, a economia criativa foi analisada como o insumo básico que pode levar um destino a ser considerado inteligente.

O uso da tecnologia aliado a um trabalho de valorização das vocações locais e à comunicação direcionada e assertiva pode dar aos territórios a oportunidade de oferecer aos viajantes muito mais do que atrativos e produtos turísticos, mas sim, experiências memoráveis.

De acordo com o presidente da Belotur, Gilberto Castro, atenta aos movimentos globais relacionados ao tema, a Belotur, como órgão competente pelas políticas públicas e desenvolvimento das atividades turísticas em Belo Horizonte, busca estimular o debate crítico e o apoio à inovação que reforça o desenvolvimento sustentável do turismo na capital mineira.

“Realizar esse seminário, às vésperas da decisão da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) sobre a candidatura da Capital a ‘Cidade Criativa da Gastronomia’, é muito importante dentro do planejamento de tornarmos Belo Horizonte um destino capaz de ser bom para a sua população e para que a visita”, explicou Castro.

O programa FuTURISMO reúne um conjunto de diretrizes, critérios, medidas e ações que a Belotur prepara para incorporar em sua atuação como órgão de desenvolvimento e fomento das atividades turísticas e associadas em Belo Horizonte.

A fundadora do blog Agente no Turismo e sócia da Strategia Consultoria, Marta Poggi, destacou a necessidade dos atores do turismo – públicos e privados – terem a consciência de que hoje temos um turista 4.0, usuário da tecnologia, muito mais informado, exigente e imediatista. Além disso, soluções disruptivas são lançadas a todo momento, trazendo uma dinâmica de velocidade nunca vista por este mercado.

“O turismo muda porque o cliente mudou. Hoje não adianta lançarmos mão de ‘armas’ digitais, temos que ter ‘alma’ digital. Mas isso não é apenas uma questão de tecnologia. Um destino inteligente precisa ser focado em inovação, oferecer experiências diferenciadas, valorizar o capital humano e ter foco na sustentabilidade”, pontuou Marta Poggi.

No mesmo sentido trabalha o diretor de Marketing da Costa Brava Girona Tourist Board, Jaume Marin. O destino espanhol é considerado um dos mais inovadores do marketing digital. Jaume tem liderado projetos de sucesso como pioneiro nas relações com ‘blogueiros’ de viagens, incluindo a coorganização da TBEX 2012 e 2015.

“Todos nós contamos as mesmas histórias: temos as praias mais bonitas, os melhores restaurantes, os museus mais incríveis… mas se é assim, a diferença está em como contamos essa história. 76% das pessoas não acreditam em publicidade, mas todo mundo gosta de uma boa história. Então o trabalho com influenciadores não é determinado pelo número de seguidores, mas pela representatividade que eles têm. Não adianta querer vender tudo pra todo mundo. É importante sabermos para quem e como vamos vender”, destacou Marin.