A elevação do preço da energia elétrica pode ter sido obstáculo para uma redução maior das expectativas, diz especialista - Crédito: Pixabay

O uso de tecnologias sustentáveis é uma preocupação cada vez maior para as construtoras. A captação e geração de energia limpa e a instalação de sistemas para a reutilização de recursos hídricos estão entre as principais iniciativas utilizadas nos empreendimentos imobiliários para otimizar o uso dos recursos naturais.

Pensado desde o começo do projeto para oferecer esse tipo de tecnologia, o Residencial Kadosh, da RKM Engenharia, está localizado no Vale do Sereno, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte e é o primeiro da América Latina a receber o selo Casa Sustentável, concedido pelo Instituto Mundial de Construção Saudável.

O residencial tem aquecimento solar com apoio a gás e sensores de iluminação nas áreas comuns, que ajudam na redução do consumo de energia. O sistema de reutilização de águas pluviais, assim como medições individualizadas de água potável, promove a economia da água. Além disso, a localização e inclinação do prédio foram pensadas de maneira a otimizar a iluminação e ventilação naturais e o telhado verde diminui a sensação térmica das garagens.

De acordo com a diretora da RKM Engenharia, Adriana Bordalo, a construtora usou todos os métodos construtivos e tecnologias relacionados à energia sustentável disponíveis no residencial. Ela ressalta também que os clientes têm feito opções de compra consciente, levando em consideração a sustentabilidade dos produtos e serviços.

“Desde o projeto até os materiais aplicados no empreendimento, pensamos na sustentabilidade. Preservar é uma necessidade do planeta e do ser humano e sentimos que ao agregar valor ao produto utilizando esses sistemas alcançamos clientes que estão cada vez mais preocupados, buscando empresas com uma cadeia sustentável e produtos conscientes”, afirma.

Nesse mesmo caminho, a AP Ponto, construtora e incorporadora que atua na construção de empreendimentos do programa “Minha Casa Minha Vida”, tem investido em condomínios sustentáveis. A principal iniciativa é a ampliação dos sistemas para a captação de energia solar, atualmente instalados em oito empreendimentos da empresa em Belo Horizonte e na RMBH.

Segundo o engenheiro da AP Ponto, Felipe Freitas, as placas fotovoltaicas podem proporcionar uma redução de até 87% nos gastos mensais com energia elétrica nas áreas comuns dos prédios, além de utilizarem de um recurso inesgotável para a geração dessa energia.

“A tendência do mercado é a sustentabilidade com foco na energia limpa. Nesse sentido, temos uma resposta positiva dos nossos clientes e a energia fotovoltaica tem se mostrado um marketing bom para a empresa”, pontua Freitas, que conta também que, até o final do ano, estão previstos mais dois lançamentos da empresa, um em Belo Horizonte e outro em Betim.

LEIA TAMBÉM:

Diálogos DC: acesso a serviços básicos ainda é desafio

Diálogos DC: projeto em MG promove uso sustentável da energia

Diálogos DC: serviço de esgotamento sanitário é deficiente

Diálogos DC: falta de acesso a água potável ainda é uma realidade no Brasil