Crédito: FIEMG/Divulgação

Para promover o uso sustentável da energia e incentivar o contato dos estudantes com novas tecnologias, a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) estão desenvolvendo o Espaço de Eficiência Energética em Belo Horizonte. O espaço educativo vai integrar o Sesi Museu de Artes e Ofícios, localizado na Praça da Estação e busca aproximar as escolas da tecnologia de ponta do setor elétrico.

Com um investimento de R$ 5 milhões e previsão de inauguração em janeiro de 2020, o espaço vai narrar o histórico da energia e das fontes de energia do futuro, chamadas energias limpas, por meio da interação com vários equipamentos e instrumentos de modo interativo e lúdico. A iniciativa faz parte do Programa Energia Inteligente da Cemig, regulado pela Aneel, cujas ações de eficiência energética estão alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas, principalmente os que estão relacionados à promoção de oportunidades de aprendizagem e do acesso à inovação.

O vice-presidente da Fiemg e presidente do Sindicato das Indústrias de Instalações Elétricas, Gás, Hidráulicas e Sanitárias no Estado de Minas Gerais (Sindimig), Márcio Danilo Costa, destaca que as atividades do novo espaço serão direcionadas principalmente para os alunos das escolas da Região Metropolitana de Belo Horizonte e têm o intuito de estimular o interesse dos estudantes para o tema.

“Nosso principal objetivo é disseminar a cultura do uso eficiente da energia e a redução e eliminação do desperdício. Esse espaço vai formar uma nova geração de consumidores e incentivar o interesse dos alunos por essa energia limpa e dar a oportunidade aos estudantes de serem transportados para o ambiente de museu”, afirma.

Além da sala temática principal, a parceria da Fiemg com a Cemig prevê a realização de seminários, palestras e oficinas relacionados à eficiência energética e sustentabilidade, além de quatro exposições temporárias, como explica Costa.

“Os visitantes terão contato com a energia em um espaço para diálogo amplo no qual vamos criar diversas atividades como seminários e palestras, além da participação de artistas que criam trabalhos a partir dessa matriz energética”, disse.

LEIA TAMBÉM:

Diálogos DC: acesso a serviços básicos ainda é desafio

Diálogos DC: Construtoras investem em eficiência energética

Diálogos DC: serviço de esgotamento sanitário é deficiente

Diálogos DC: falta de acesso a água potável ainda é uma realidade no Brasil