Setor de fármacos está entre os que mais procuram por região - Crédito: Divulgação

Extrema, no Sul de Minas, colhe agora os resultados do trabalho de estruturação e atração de investimentos privados realizado pela prefeitura no decorrer das últimas décadas. O número de empresas interessadas em se instalarem na região já supera o número de áreas disponíveis, e o Poder Executivo recorre a uma espécie de processo seletivo para aprovar os empreendimentos.

A informação é do secretário de Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo, Adriano Carvalho. Segundo ele, Extrema não dispensa investimentos, mas acaba direcionando para outros municípios da região aqueles que não se encaixam no perfil considerado ideal pela prefeitura.

“Quando iniciamos o trabalho, logicamente que aceitávamos todo tipo de investimentos, mas, com o tempo, adquirimos um conforto e hoje já atingimos uma situação que nos permite selecioná-los, principalmente em virtude da falta de áreas disponíveis no município”, explicou.

Este é o caso, por exemplo, de empresas com alto nível poluente ou com perfil de mão de obra com salários bem abaixo da média do mercado.

“O objetivo inicial era de que nenhum setor concentrasse mais do que 20% dos empregos da cidade. Hoje, pelo menos 80% do mercado de trabalho de Extrema se divide entre 14 diferentes setores”, citou.

Em relação às áreas para instalação dos empreendimentos, o secretário lembrou que a cidade conta atualmente com três Distritos Industriais (DIs), que, juntos, abrigam 295 indústrias de transformação e pelo menos 14 Centros de Distribuição (CDs).

E, apesar de outros condomínios industriais privados estarem sendo construídos no município, totalizando algo em torno de 500 mil metros quadrados de área de armazenagem, os galpões estão praticamente esgotados.

“Esta, inclusive, é uma das dificuldades que temos hoje. Houve um aquecimento na economia, expectativa e liberação de investimentos das empresas somando com o nosso trabalho, e muitos empresários nos procuraram de uma vez só, fazendo com que a demanda superasse a oferta (de espaços)”, admitiu.

Log Commercial – Um dos condomínios industriais que estão sendo erguidos na cidade diz respeito ao empreendimento da Log Commercial Properties, empresa do grupo MRV Engenharia, a ser entregue nos próximos meses. Com 75 mil metros quadrados e investimento de R$ 120 milhões, o espaço irá abrigar a Dafiti, um dos maiores grupos de e-commerce de moda da América Latina.

“Empresas do setor de e-commerce, juntamente com o de fármacos, têm sido as maiores demandantes por áreas para se instalarem na cidade. Enquanto no caso dos fármacos há um esforço do governo do Estado para fomentar o polo no Sul de Minas, no e-commerce conta o fato de oferecermos uma série de benefícios logísticos para escoamento dos produtos. Como consequência, Extrema responde atualmente por 12,5% do comércio eletrônico do Brasil”, explicou.

Por fim, Carvalho afirmou que os diferenciais do município para atrair tantos investimentos estão no somatório de uma série de ações, que inclui trabalho ativo de captação de investimentos, localização privilegiada, ausência de movimentos sindicais agressivos e mão de obra qualificada.