Alexandre Poni informou durante a abertura do Superminas que o setor deve contratar 3,5 mil temporários neste ano - Crédito: Ignacio Costa /Divulgação

Fatores como a retomada – mesmo que lenta – da economia brasileira, a geração de novos postos de trabalho e a injeção de recursos, como a liberação do FGTS e o pagamento da primeira parcela do 13º salário já animam setores varejistas para o desempenho nos próximos meses. O setor supermercadista mineiro, por exemplo, aguarda alta de 3,5% nas vendas natalinas, enquanto no setor de panificação o otimismo é ainda maior e a alta pode chegar a 5%.

Os números foram apresentados na coletiva de imprensa de lançamento da 33ª edição do Congresso e Feira Supermercadista e da Panificação (Superminas Food Show), que acontece até amanhã (17), no Expominas, na região Oeste de Belo Horizonte.

O evento, que reúne os principais supermercadistas e panificadores, além de fornecedores, deverá receber cerca de 55 mil pessoas durante os três dias de exposição e superar os R$ 1,86 bilhão em negócios.

De acordo com o presidente da Associação Mineira de Supermercados (Amis), Alexandre Poni, no ano passado, foram 484 expositores e lançados ao longo do evento 350 produtos. Segundo ele, a expectativa é de novos recordes nesta edição.

Tamanho otimismo para a feira acontece pelo marco de 100% de ocupação dos estandes e a confirmação de mais de 500 empresas expondo seus produtos e serviços. “É o segundo maior evento do gênero em território nacional. Os números indicam também a dimensão do setor supermercadista mineiro que teve faturamento de R$ 35,8 bilhões em 2018 e reúne atualmente 7.242 lojas em todo o Estado”, disse.

Sobre as vendas natalinas, Poni destacou que, tradicionalmente, a sazonalidade puxa o desempenho do período, com destaque para os produtos típicos. Para se ter uma ideia, para a venda de panetones, por exemplo, é esperada uma alta de 10% sobre o ano anterior. Já na linha de vinhos, o aumento deverá ser da ordem de 7%.

“A estabilidade dos preços é outro fator que também deverá influenciar no desempenho. No entanto, é preciso considerar a alta do dólar nos últimos meses e o efeito que deverá surtir sobre os produtos importados”, citou o presidente.

Há ainda a expectativa de contratação de temporários para o período. Pesquisa da Amis revelou que mais de 40% das redes pretende contratar colaboradores sazonais para atender a demanda do Natal. O número entre os supermercados e fornecedores deverá chegar a 3,5 mil profissionais somente em Minas Gerais.

Panificação – Já o presidente da Associação Mineira da Indústria da Panificação (Amipão), Vinícius Dantas, lembrou da necessidade que cada vez mais as padarias têm enfrentado de reinventar perante às mudanças no comportamento do consumidor. Ele afirmou que, ao contrário de antigamente, as pessoas não vão mais à padaria comprar o pão para levar para casa. Elas comem no próprio local.

“Por isso, temos visto cada vez mais os estabelecimentos oferecendo uma gama de produtos diversificados, incluindo os artesanais e atrações musicais e de entretenimento. Estamos trabalhando novos hábitos e conceitos e a Superminas é o momento de apresentar isso aos nossos pares”, destacou.

Sobre a demanda específica para o fim de ano, o presidente da entidade falou sobre os produtos típicos e encomendas para as festas de fim de ano, como carnes assadas, ceias de Natal e Ano Novo, sobremesas, além de bebidas especiais. “Além disso, as mini porões estão ganhando mais espaço na mesa do consumidor, que busca diversidade e economia”, completou.

Ao todo, o setor conta com 7 mil empresas e mais de 14 mil pontos de vendas em todo o Estado. Já o número de empregos gerados chega a 70 mil.

Desta maneira, ambos os setores seguem otimistas para o fechamento de 2019. E a expectativa é de que encerrem o ano com alta no faturamento da ordem de 4% sobre o ano anterior.

Zema pede apoio para plano de recuperação

Diversas autoridades e representantes do varejo mineiro e brasileiro estiveram presentes na solenidade de abertura do 33º Congresso e Feira Supermercadista e da Panificação (Superminas Food Show). O grande destaque foi a presença do governador Romeu Zema (Novo), que pediu apoio dos supermercadistas mineiros para a aprovação dos projetos de leis encaminhados à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), como primeiro passo para aderir ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) do governo federal.

“Gostaria que no primeiro trimestre de 2020 já estivéssemos com todas as propostas aprovadas e Minas retomando os trilhos, para que voltássemos a sentir orgulho do nosso Estado. Por isso, deixo aqui meu pedido a todos vocês que têm algum deputado conhecido, que o sensibilize da importância desta votação. Só assim será possível reequilibrar as contas e voltar a investir nas áreas prioritárias”, disse.

Em entrevista à imprensa, o governador reiterou o discurso e frisou que o que está ao alcance do Executivo está sendo feito, mas ressaltou que a maior parte das mudanças necessárias para reverter o déficit público passa principalmente pelo Legislativo.

“Temos feito tudo o que está ao alcance para dinamizar o setor produtivo, gerar empregos e aumentar a arrecadação. Já temos tido alguns resultados o que demonstra que, estamos no caminho certo”, declarou.

Programação – Como em todos os anos, a Superminas contará com uma série de eventos de desenvolvimento profissional, como palestras, workshops e visitas técnicas que, ao todo, deverão somar 70 atividades. O destaque do primeiro dia ficou por conta da abertura do evento com o jornalista Alexandre Garcia que abordou as perspectivas econômicas para 2019 e as tendências em 2020 no cenário nacional.

Também haverá uma palestra do consultor de marketing digital com foco em varejo da Google, Felipe Patené, que será sobre inovações e soluções irão Impactar o futuro do varejo. A palestra do nadador Cesar Cielo abordará o tema motivacional “Alta Performance no trabalho, na família, na vida!”.

Haverá ainda um painel com o presidente da Amis, Alexandre Poni, e outros profissionais que irão debater importantes questões do momento nas áreas de marketing, negócios e comercial.