MRV espera um crescimento nos negócios ainda maior até o fim do ano | Crédito: Divulgação/MRV Engenharia

A MRV Engenharia e Participações S/A atingiu, no terceiro trimestre deste ano, o melhor resultado de vendas líquidas para o período na história da companhia, registrando R$ 1,395 bilhão em comercializações.

O valor representa um aumento de 5,7% em comparação ao segundo trimestre deste ano e de 18,8% em relação ao terceiro trimestre de 2018, conforme a prévia operacional divulgada pela empresa.

“Isso é fruto do volume importante de vendas que a gente vem conseguindo manter”, disse o diretor executivo de finanças e relações com os investidores da companhia, Ricardo Paixão.

De acordo com o profissional, um dos fatores que contribuíram para esse cenário é um “bônus demográfico muito grande”. Além disso, o diretor acrescenta, ainda, que a MRV consegue aproveitar o fato de estar espalhada em todo o País, atendendo de Norte a Sul. A possibilidade de financiamentos imobiliários é, ainda, segundo Paixão, outro ponto alto.

“As nossas expectativas são de que haja um volume de vendas ainda mais forte no próximo trimestre”, pontua o diretor da companhia.

As boas perspectivas, segundo o profissional, têm a ver com todo o trabalho interno que tem sido executado pela empresa, com mais projetos disponíveis, para diferentes perfis. “A MRV quer ser vista como uma plataforma habitacional”, afirma.

Outros destaques – Quando o assunto é a evolução dos distratos em volume geral de vendas (VGV), houve redução de 66,1% na comparação entre o terceiro trimestre de 2018 e o mesmo período deste ano, passando de R$ 279 milhões para R$ 95 milhões.

Na comparação entre o terceiro e o segundo trimestre deste ano, quando foram registrados R$ 121 milhões de distratos, a diminuição foi de 22%.

Conforme frisa o diretor da empresa, a MRV começou a reconhecer as vendas somente depois que o cliente assina o contrato com o financiamento.

Produção – O número de unidades produzidas pela empresa também tem aumentado ao longo do tempo quando a comparação é feita entre os noves primeiros meses de 2017, de 2018 e de 2019.

De janeiro a setembro de 2017, a companhia produziu 25.078 unidades. No mesmo período, em 2018 e 2019, foram produzidas 27.027 unidades e 30.537, respectivamente. O incremento de 2017 para 2019 foi de 21,8% e de 2018 para 2019 de 13%.

“Temos tido mais lançamentos, um ritmo de vendas forte, o que nos permite ter também um ritmo de construção bastante relevante”, destaca Paixão.

Valores – O preço médio por unidade vendida também teve incremento na comparação entre o segundo e o terceiro trimestre deste ano, passando de R$ 150,2 mil para R$ 154,9 mil, o que representa um crescimento de 3,1%. Em relação ao terceiro trimestre de 2018, quando o preço médio era de R$ 148,3 mil, a alta foi de 4,4%.

Segundo a MRV, esse aumento está ligado ao maior volume de lançamentos nas capitais do País e nas regiões metropolitanas, com um valor mais alto.

Além disso, a companhia reforça em sua prévia operacional que “as vendas do terceiro trimestre de 2019 foram marcadas, também, por um aumento no volume de vendas de unidades com funding do SBPE, totalizando 7,5% das unidades e 9,8% do VGV vendido”.

O diretor executivo de finanças e relações com os investidores da MRV afirma que esse resultado está relacionado à implementação da estratégia de diversificação da empresa.

“Se ficar restrito somente à fonte de financiamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), ficaremos muito dependentes”, diz ele. “Queremos ter mais fonte de financiamento para o nosso negócio”, destaca.