Para especialistas, momento é ideal para a compra de imóveis, devido ao patamar atual da Selic - Crédito: Charles Silva Duarte

O anúncio de redução de juros para o financiamento imobiliário feito pela Caixa Econômica Federal, na última semana, deve contribuir para um melhor desempenho do setor da construção civil. A queda de juros impacta de forma positiva, melhorando as condições de financiamento para aquisição de imóveis.

De acordo com o vice-presidente da Área Imobiliária do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), Renato Michel, a redução anunciada pela Caixa e a queda observada na Selic, como a da última semana, ampliam o acesso ao financiamento imobiliário, o que é importante para estimular a aquisição de imóveis.

“É importante registrar que o setor imobiliário é altamente dependente de financiamento, não as empresas, mas o comprador. Ele precisa do financiamento para conseguir concretizar a comprar. Então, sempre que se fala em diminuição da taxa de juros é muito importante para o setor. A queda dos juros influencia diretamente no poder de compra das pessoas. Quanto menor os juros, maior o poder de compra”, explicou.

A expectativa é de que, com o anúncio da redução da Selic e dos juros da Caixa, entidades financeiras privadas também venham a reduzir as taxas, ampliando o acesso ao crédito.

“Estamos satisfeitos com a redução das taxas, e observamos que os bancos privados também estão diminuindo os juros. Isso é importante para o setor, uma vez que a Caixa não consegue atender todo o volume de financiamento do Brasil”, disse Michel.

LEIA MAIS:

Comércio de materiais da construção civil avança no 2º semestre

Momento ideal – O economista e professor de economia do Ibmec Felipe Leroy explica que o momento é ideal para a aquisição de imóveis, isto devido a menor taxa Selic da história. A perspectiva é de que os bancos reduzam as taxas, o que vai favorecer as vendas de bens de maior valor.

“Existe uma expectativa de que os bancos reduzam as taxas de juros. A Caixa foi a primeira a anunciar uma redução e a tendência é de que os demais bancos, que trabalham com financiamento de imóveis, adotem a mesma estratégia. A queda nos juros não impacta somente o imobiliário, ela impacta em todos os outros setores. Isso porque ao reduzir os juros, reduz também os custos para o tomador de crédito e isso alavanca a economia”, explicou.

Com o corte dos juros, Leroy explica que se espera que a economia nacional vá reagir, porém, os consumidores ainda estão cautelosos em relação a investimentos.

“O governo espera que a economia reaja com a queda dos juros, mas as famílias ainda estão inseguras em investir com receio do que pode acontecer. Mas, com os custos de financiamento menores, as famílias podem tomar a decisão e financiar bens duráveis. É a menor taxa da história, o que torna o momento interessante para investir”, explicou Leroy.

Redução – Segundo os dados divulgados pela Caixa, a nova redução nas taxas de juros para os financiamentos imobiliários será dos recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE), que utilizam uma taxa prefixada mais a taxa referencial (TR).  A menor taxa passou de 7,5% ao ano mais TR para 6,75% ao ano e a maior foi de 9,5% mais TR ao ano para 8,5% mais TR ao ano.

As tarifas menores valem para linhas de crédito do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). O SFH é voltado para os financiamentos de imóveis de menor valor e tem parte das unidades financiadas com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O SFI é destinado a imóveis mais caros, sem cobertura do FGTS.