Crédito: PXHERE

O número de empresários juniores no Brasil passou de 19 mil, em 2017, para mais de 22 mil, em 2018. O crescimento de 16% foi apresentado em levantamento realizado pela Confederação Brasileira das Empresas Juniores, a Brasil Júnior. Cerca de 46% deles afirmam que permanecem cursando a graduação por estar participando ou ter participado do movimento empresa júnior.

Esses estão distribuídos em 850 empresas juniores presentes em aproximadamente 165 universidades em todos os estados brasileiros. As empresas juniores foram responsáveis por desenvolver cerca de 18 mil projetos, a maioria deles para pessoas físicas (32,1%) e microempresas (31,1%), seguidas por pequena empresa (17,6%), empreendedor individual (13,2%), média empresa (3,2%) e órgãos públicos (2%). Apenas 0,8% foram para grandes empresas.

No geral, 51,3% dos empresários juniores se reconhece como gênero feminino. Ao mesmo tempo que Engenharia de Produção e Administração são os cursos com mais frequentes nas EJs. Os dados fazem parte do “Censo e Identidade” realizado anualmente pela Brasil Júnior e contou com 5105 respondentes provindos de 811 diferentes cursos de graduação responderam à pesquisa.

“Essas informações reafirmam que estamos expandindo o acesso dos estudantes à vivência empresário e diversificando o impacto do movimento no País”, explica o Presidente Executivo da Brasil Júnior, Renan Nishimoto.

Presente no Brasil desde 1988, o Movimento Empresa Júnior brasileiro é o maior do mundo. Para 2019, a Brasil Júnior, prevê um faturamento de R$ 45 milhões e 23 mil projetos concluídos. Todo o valor arrecadado pelas empresas juniores é investido em ações que beneficiam os próprios alunos. (Da Redação)