Foto: Pxhere

NACHO DE MARCO*

Os asiáticos já não dominam mais sozinhos o mercado de softwares. É cada vez mais comum que outras regiões se destaquem no setor, em especial, a América Latina. São muitos os negócios que já apostam em trabalhar com companhias da região para o desenvolvimento de tecnologias.

O chamado software outsourcing já é entendido em todo o mundo como uma maneira de reduzir gastos e ganhar terreno no mercado de forma mais rápida. O mais relevante é que essa subcontratação de prestadores de serviços externos permite à contratante delegar determinadas tarefas e, assim, dedicar-se a questões que são chave para o seu negócio.

Ainda que a Ásia tenha sido – e siga sendo, – um destino popular no desenvolvimento de softwares, a América Latina é uma região que promete em matéria de software outsourcing, algo já comprovado por muitas empresas dos Estados Unidos e da Europa que utilizam essa ferramenta para crescer a nível mundial.

Além da qualidade já testada por grandes multinacionais que fazem uso de softwares da América Latina, como Amazon, Facebook e Wizeline, os fabricantes da região possuem diversos fatores competitivos. Entre eles, destaca-se a proximidade das cidades-polo uma das outras e a proximidade com os EUA, – o que configura em uma diferença pequena de fuso horário e maior facilidade para a operação no dia a dia, – além dos custos mais competitivos em relação a companhias da América do Norte.

A recente pesquisa global Skill Index 2019, desenvolvida pela instituição Coursera, destaca os países com maiores habilidades profissionais e coloca a Argentina como principal potência na categoria de “tecnologias inovadoras”, o que demonstra o fortalecimento da América Latina no assunto.

De outro lado, no posto 30, na média do ranking, está o Brasil, que aparece como um dos países mais competitivos e entre os emergentes em matéria de tecnologia. A Coursera destaca ainda Peru, Chile e México como emergentes. Esse índice de renome global se baseia nas melhores habilidades profissionais do mundo e ranqueia 60 países em dez diferentes setores.

A presença latino-americana na pesquisa confirma o crescimento e a importância da região nesse setor. Chegou a hora de a América Latina ser a ‘bola da vez’ da tecnologia.

  • CEO e cofundador da BairesDev, empresa argentina desenvolvedora de software com atuação no Brasil