Tonani: plano de desenvolvimento de produtos na planta começou em 1996, quando a unidade fazia basicamente testes - Crédito: Leo Lara/Studio Cerri

O alcance de 100% de autonomia no processo de desenvolvimento de novos veículos pelo Centro de Pesquisa & Desenvolvimento Giovanni Agnelli culminou com a inauguração do Safety Center em julho passado e cujos aportes chegaram a R$ 40 milhões.

Trata-se de um prédio com 7.600 metros quadrados, incluindo uma pista de 130 metros com capacidade para testes de veículos de até 4 toneladas a 100 quilômetros por hora.

A estrutura está disponível para qualquer empresa do grupo na América Latina e tem capacidade de fazer testes frontais, laterais e de poste, completando o ciclo de criação de um veículo antes da industrialização, indo do conceito à certificação.

Antes, todo veículo da FCA criado na América Latina utilizava laboratórios do grupo na Europa ou nos Estados Unidos. O espaço é a parte que faltava para que a FCA Latam fosse totalmente autônoma na criação e desenvolvimento de carros.

Além disso, o novo centro está interligado a toda a cadeia de desenvolvimento de produtos, desde a fase de conceito, passando pelas simulações virtuais, até chegar às provas físicas de desenvolvimento e homologação e ao início da produção do novo veículo.

De acordo com o diretor de Desenvolvimento de Produto da FCA para a América Latina, Márcio Tonani, o plano de desenvolvimento de produtos na planta começou em 1996, quando a unidade fazia basicamente testes e 5% do gerenciamento dos projetos. Foi quando houve a primeira integração com o projeto global Palio. Em 2001, o gerenciamento saltou para 25% e passou a fazer a gestão local do desenvolvimento da fase de industrialização dos produtos.

Em 2003, houve a inauguração do Polo de Desenvolvimento Giovanni Agnelli e início do processo de desenvolvimento dos projetos de veículos locais, atingindo 50% na automação.

Em 2008, este número chegou a 90% e os veículos passaram a ser 100% produzidos na América Latina com a realização da conceituação e desenvolvimento do veículo nas fases virtual e física. “Foi então que surgiu a missão de desenvolver um carro totalmente Latam: o novo Fiat Uno, lançado em 2010”, cita o diretor.

De 2014 a 2019, iniciaram-se os esforços em busca da autonomia completa no desenvolvimento, do conceito à certificação. “O Centro P&D recebeu o desafio, que foi alcançado em julho, com a inauguração Safety Center. Neste período, os aportes para que alcançássemos a completa autonomia somaram mais de R$ 1 bilhão. Além disso, destacamos que dos R$ 8,5 bilhões previstos para os próximos anos, uma parte relevante seguirá sendo destinada ao desenvolvimento de novos produtos e modernização constante do polo”, afirma.

LEIA TAMBÉM:

Fábrica da FCA em MG atinge 100% de autonomia

FCA evoluiu para polo de desenvolvimento em 17 anos

CP&D da FCA conta com dois mil técnicos e engenheiros