Atualmente, Sicredi tem 14 agências no Estado; até o fim do ano, outras 20 serão abertas - Crédito: Divulgação

Criado no Rio Grande do Sul há mais de 100 anos, o Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi) fortalece a presença em Minas Gerais. A cooperativa inaugurou ontem, em Belo Horizonte, sua primeira agência e vai gerar 11 postos de trabalho direto e três terceirizados.

Em novembro, entra em operação uma agência, na avenida Brasil. Outras regiões da Capital já estão sendo mapeadas. Segundo o presidente do Conselho do Sicredi, Pedro Ubiracy Ferreira, a maior probabilidade é de que as regiões Nordeste e Pampulha sejam contempladas.

Atualmente, são 14 agências em funcionamento no Estado e, até o fim do ano, outras 20 deverão ser abertas. O Estado foi divido em 20 macrorregiões para o desenvolvimento da estratégia. Até o final de 2020, a cooperativa pretende aumentar a rede de atendimento para um total de 50 agências, em um investimento estimado de R$ 50 milhões.

“Já temos 12 regiões em funcionamento e a meta é que cada uma inaugure, ao menos, duas unidades por ano. Esse retorno deverá ser acelerado à medida que formos nos tornando conhecidos”, explica Ferreira.

Presentes em Minas Gerais desde 2018, o Sicredi já inaugurou 10 agências este ano, em cidades de perfis bastante diversos como Pimenta (Centro-Oeste), com 8,6 mil habitantes; e Uberlândia (Triângulo), com 604 mil habitantes – segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para 2018 -, por exemplo.

Ainda em agosto, está prevista uma inauguração em Itabirito, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Na sequência, deverão ser contemplados as cidades de Sete Lagoas (região Central), Patos de Minas (Alto Paranaíba), Prata (Triângulo), Pouso Alegre, Campos Gerais, Elói Mendes, São Sebastião do Paraíso e Muzambinho (essas últimas no Sul de Minas).

“Somos uma cooperativa de crédito que teve sua origem no meio rural no Rio Grande do Sul. Como uma associação temos um compromisso com o lugar em que estamos, por isso não importa o tamanho da cidade, mas a sustentabilidade daquela unidade. Estamos em 201 cidades em que somos a única instituição financeira presente. Então em Minas Gerais existe uma grande oportunidade pelo tamanho da economia e o número de municípios”, destaca o presidente.

As instituições financeiras cooperativas detêm atualmente apenas 6% do mercado financeiro no Brasil. As cooperativas de crédito vinculadas ao Sicredi são de livre admissão, ou seja, são abertas a qualquer pessoa física e jurídica, principalmente micro, pequenas e médias empresas. O sistema oferece produtos como seguros, consórcios, crédito rural, crédito imobiliário, poupança, fundos de investimentos. Nesse modelo, os clientes são sócios que participam das decisões e resultados.

“As cooperativas de crédito são uma ferramenta que auxilia a ‘bancarização’ da população do interior e desconcentra o sistema bancário ao se instalar em diferentes perfis de cidade. Oferecemos serviços para pessoas que normalmente os bancos não se interessam por elas. O que trazemos de diferente é a possibilidade de um relacionamento mais pessoal, em que os clientes não são só um número. Muitas vezes deixamos de vender um produto porque ele não é o melhor para o nosso associado”, completa o executivo.