Greve pode paralisar obras no Estado por completo

Home

30/05/2018 - Ana Amélia Hamdan

As obras de infraestrutura do Estado podem parar totalmente em um prazo de cinco dias caso a greve dos caminhoneiros permaneça, segundo informou ontem o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Pesada no Estado de Minas Gerais (Sicepot-MG), Emir Cadar Filho. Segundo ele, atualmente, 70% dessas obras estão paradas por falta de insumo ou de diesel para os equipamentos. Cadar Filho ressalta que a greve leva ao agravamento de perdas do setor.

Pesquisa divulgada ontem mostra que o índice de utilização de capacidade operacional do segmento estava em 48,8% em março último, ou seja, menos da metade dos equipamentos e funcionários estavam em atividade. “A greve entrou em cheio para acabar de nocautear o setor da infraestrutura”, disse. Segundo ele, todos os insumos utilizados nas obras, como brita, concreto, aço e tijolo, estão parados, sem chegar até os canteiros. Além disso, os equipamentos são movidos a diesel, que também não está sendo distribuído.

Ele reforça ainda que, devido ao fato de o Governo asdo Estado e a Prefeitura de Belo Horizonte, entre outras administrações públicas, terem decretado ponto facultativo até a semana que vem, haverá atraso na geração de faturas. Com isso, pode haver difi culdades no pagamento de funcionários. O presidente do Sicepot- -MG criticou a medida do governo federal de zerar a alíquota da Cide que incide sobre o preço do diesel para atender a reivindicações dos grevistas. Segundo Cadar Filho, essa cobrança volta diretamente para o transporte rodoviário por meio de manutenção da malha viária.

“Ninguém falou do risco que vamos correr com falta de investimento de manutenção sem a alíquota da Cide sobre o diesel”, disse. Cadar Filho informou ontem que considerou legítimo e justo o movimento dos caminhoneiros em seu início, mas que agora “já é hora de parar”, pois vem afetando setores primordiais, como saúde e educação. Ele reforça que apoia a reivindicação da categoria, de redução do preço do diesel, inclusive porque este é um insumo importante para a construção pesada.