Indústria mineira registra queda de 4,5% no faturamento

Home

31/05/2018 - Por Mara Bianchetti

Enquanto o setor de máquinas e equipamentos nacional apurou alta de 19,2% no faturamento de abril, sobre igual mês do ano passado, a indústria de bens de capital do Estado amargou queda de 4,5% na mesma base de comparação. A diferença se deve não somente ao perfil da indústria mineira, que depende de alguns setores que estão com mais dificuldades de recuperação, mas também a uma base elevada por uma grande encomenda recebida em igual época de 2017.

Os dados são da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) e, de acordo com o vice-presidente regional Minas Gerais, Marcelo Luiz Veneroso, podem ser ainda mais impactados nos próximos meses, tanto pelos dias que as empresas ficaram paradas em função da greve dos caminhoneiros em todo o País quanto pela possibilidade de reoneração da folha de pagamentos, anunciada pelo presidente da República, Michel Temer.

Segundo ele, de maneira geral, o primeiro quadrimestre já deixou a desejar. E a tendência é de que haja ainda mais perdas daqui para frente, se forem consideradas essas questões. “Apesar da indicação positiva de faturamento (em âmbito nacional o setor ainda acumula alta de 5,4%), ele reflete um índice menor do que o anterior”, destacou.

Ainda segundo Veneroso, embora a economia tenha dado sinais de retração em abril, o País não respondeu com o otimismo esperado pelos empresários. Para ele, isso confirma a fraqueza das ações do atual governo. “Não foram implantadas medidas que promovam investimentos”, justificou.

Em relação ao desempenho do setor de bens de capital no Estado, vale destacar que o nível de utilização da capacidade instalada cresceu 0,7% em relação ao mês imediatamente anterior. Já sobre abril de 2017, houve aumento de 3%. No País, foi registrada queda de 0,6% na comparação com março, chegando a 75,9% em abril.

Somente as exportações avançaram 11% em abril deste ano, sobre o mesmo mês do ano anterior. Em nível nacional, o aumento foi de 37,7%. No quadrimestre, as exportações do setor registraram crescimento de 28,7%. Vale destacar que o resultado das vendas internacionais tem oscilado em níveis próximos aos médios mensais dos anos de 2011 e 2012, períodos em que o setor registrou seu melhor desempenho no exterior.

Já o nível de empregos nas empresas mineiras cresceu apenas 0,4% na comparação entre os quatro meses de ambos os exercícios.

Greve - Sobre os impactos da greve dos caminhoneiros em todo o Brasil, que assolou a economia e o abastecimento geral da população durante os últimos dez dias, Veneroso disse ainda que é cedo para projetar os prejuízos.

No entanto, pesquisa realizada pela Abimaq com suas associadas revelou que atraso na entrega de insumos, falta de funcionários e paralisação parcial da produção foram alguns dos impactos da greve dos caminhoneiros ocasionados nas empresas de bens de capital. Ao todo, 93% das companhias associadas foram impactadas.