Créditos: Reprodução

Janguiê Diniz *

O mundo dos negócios está mudando cada vez mais rápido. Todos os dias são criadas milhares de novas empresas, que oferecem produtos e serviços para os clientes em potencial.

Se destacar nesse mercado é cada vez mais difícil e características como preço e qualidade não podem ser consideradas como únicos pontos de diferenciação dos concorrentes.
 

A inovação tem sido um tema bastante debatido e explorado como ponto fundamental de sobrevivência nesse novo mercado. Inovar é uma coisa simples, mas as pessoas tendem a complicar quando ligam inovação às melhores ideias e com a finalidade de ter novos produtos ou serviços.

Inovar é ter novas ideias, mas é também ter soluções novas ou melhores do que as que disponíveis no mercado. Inovar é agregar valor ao produto ou serviço, entregando melhores experiências aos clientes e gerando ganhos excepcionais para o negócio.
 

Ser criativo faz parte do processo de inovação, mas criatividade e inovação são conceitos completamente diferentes. Todos nós somos altamente capazes de ter uma enorme quantidade de ideias. A diferença está no que você será capaz de fazer com cada uma delas. A criatividade é o primeiro passo da inovação. Afinal, ideia sem ação não gera resultados e não torna ninguém bem-sucedido.
 

Particularmente, acredito que o melhor conceito que define inovação é “executar ideias”. Não precisam ser ideias que irão mudar o mundo, mas ideias que sejam capazes de agregar valor ao negócio. Ou seja, uma ideia inovadora é aquela que apresenta benefícios na prática. O grande desafio dos empreendedores é encontrar a criatividade e inovação de forma que se materializem em uma proposta viável e útil.
 

Todo o processo de inovação inicia-se de um processo criativo e, para desenvolver o pensamento criativo, é preciso aprender a desaprender.  Ou seja, inovar é, por consequência, rever, questionar, descobrir, e, posteriormente, usar a imaginação, intuição, criação, sentimento, lógica, razão, sistematização e planejamento.
 

Vivemos num mundo de mudanças, aprimoramento, riscos e oportunidades. Muitos falam que é preciso pensar fora da caixa para sobreviver, porém, muitos não sabem por onde começar.

Ora, pensar fora da caixa é uma expressão que pode ser entendida simplesmente como ter ideias ou encontrar soluções que fogem do comum – ou seja, inovar.
 

Em um mercado tão competitivo, apenas as empresas que conseguem ter ideias e mostrar propostas inovadoras serão bem-sucedidas e conseguirão conquistar o público.

Ter novas ideias, criatividade e coragem para agir que consagram o que chamamos de inovação,  são características inerentes aos empreendedores de sucesso. 

  • Mestre e Doutor em Direito – Chanceler da Universidade UNG. Fundador e Presidente do Conselho de Administração do Grupo Ser Educacional