Segundo o Global Fintech Adoption Index 2019, as plataformas de planejamento financeiro, investimentos e empréstimos também caíram no gosto nacional | Crédito: iStock

Presentes no universo financeiro desde meados de 2014, as fintechs têm ganhado cada vez mais espaço. Dados do Global Fintech Adoption Index 2019, estudo bianual realizado pela EY, mostram que no Brasil 77% dos entrevistados usam plataformas de meios de pagamento e transferências.

Ajudam a compor o ranking nacional as fintechs de planejamento financeiro (41%), investimentos (40%), seguros (39%) e empréstimos (31%).

“Diferente dos outros dois levantamentos que fizemos, foi curioso observar que a porcentagem de brasileiros que utilizam fintechs de diferentes serviços está empatada com a média global, em 64%”, comenta o sócio de consultoria em serviços financeiros para transformação digital e inovação da EY, Chen Wei Chi.

A relação de confiança ainda é um fator que pesa para 18% dos brasileiros na hora de escolher entre uma fintechs ou se continua com alguma instituição financeira (IF) tradicional. De acordo com o estudo, 21% dos consumidores opta por não apostar nesse universo por falta de clareza sobre como funcionam as operações das startups financeiras.

Por outro lado, as taxas mais baixas e a facilidade no processo de abertura de conta são fatores muito importantes que os brasileiros levam em consideração na hora de escolher uma fintech.

Perfil – Atendendo aos clientes de todas as faixas etárias (18 a 65+ anos) e perfis sociais (renda), analisados pelo estudo, as fintechs de meios de pagamento e transferências saem na frente mais uma vez.

As plataformas de planejamento financeiro também apresentam um desempenho bastante positivo entre os adultos de 25 a 34 anos e pela parcela da população que já começa a pensar e planejar a aposentadoria, na faixa dos 55 a 64 anos.

“A análise do fator social também contribui para desenhar o cenário nacional, uma vez que em todas as categorias analisadas, a adoção dos produtos e serviços oferecidos pelas fintechs aumenta de acordo com a renda do usuário”, reforça Chen.