Crédito: Nelson Jr./SCO/STF

BRASÍLIA (Reuters) – O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou nesta quinta-feira a possibilidade de executar a pena de prisão após condenação em segunda instância, a partir do voto de desempate do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli.

A decisão, tomada por 6 votos a 5, representa a maior derrota que a corte impôs à operação Lava Jato nos seus cinco anos e pode levar à liberdade o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde 7 de abril do ano passado, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após ter sua condenação por corrupção e lavagem de dinheiro confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), no caso do tríplex do Guarujá (SP). Segundo o Ministério Publico Federal (MPF), cerca de 80 condenados na operação serão atingidos.

Em âmbito nacional, o julgamento terá impacto na situação de 4,8 mil presos. Os dados são do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). (Com informações da Agência Brasil)