Entre os destinos internacionais mais procurados está Santiago do Chile, com tíquete médio de R$ 1.600 - Crédito: Divulgação

A Almundo, agência multicanal que está transformando a experiência de viagens no Brasil e América Latina, acaba de realizar um levantamento que destaca o perfil do viajante brasileiro no primeiro semestre de 2019.

De acordo com o estudo, o tíquete médio total do primeiro semestre 2019 foi de R$ 2.700 e os destinos internacionais mais procurados incluem Santiago do Chile (tíquete médio de R$ 1.600), Buenos Aires (tíquete médio de R$ 2.200), Miami (tíquete médio de R$ 4.200), Lisboa (tíquete médio de R$ 4.100) e Nova York (tíquete médio de R$ 4.100). Já os nacionais são São Paulo (tíquete médio de R$ 1.200), Rio de Janeiro (tíquete médio de R$ 1.200), Salvador (tíquete médio de R$ 1.100), Fortaleza (tíquete médio de R$ 1.100) e Recife (tíquete médio de R$ 1.300).

A pesquisa revela ainda que o consumidor digital é predominantemente feminino (60%), compra passagens com 109 dias de antecedência, possui a faixa etária de 25 a 34 anos, com a maioria das compras realizadas por meio do desktop (59%), enquanto mobile representa 41%. De acordo com o Country Manager da Almundo, Luciano Barreto, apesar da ascensão do mobile estar cada vez mais significativa, muitos viajantes ainda têm receio de realizar transações via celular.

“Nosso objetivo é que a experiência de compra do viajante seja 100% segura, tanto via desktop, quanto por meio do mobile. Apesar do desktop ainda ser predominante, a tendência é de que as transações via dispositivo móvel e aplicativo aumentem cada vez mais”, explica.

Comparativo 2018 X 2019 – No primeiro semestre de 2018, o tíquete médio total foi de R$ 2.400 e os destinos internacionais de destaques foram Nova York (tíquete médio de R$ 4.600), Lisboa (tíquete médio de R$ 5.100), Miami (tíquete médio de R$ 4.100), Orlando (tíquete médio de R$ 5.000) e Santiago do Chile (tíquete médio de R$ 2.500). Já os nacionais incluem São Paulo (tíquete médio de R$ 2.400), Fortaleza (tíquete médio de R$ 1.400), Salvador (tíquete médio de R$ 1.300), Rio de Janeiro (tíquete médio de R$ 2.600) e Recife (tíquete médio de R$ 1.400).

Segundo Barreto, houve um crescimento em relação às vendas para o destino Santiago do Chile de 2018 para 2019. Um dos motivos foi a companhia aérea Sky, low cost que vem ganhando destaque em viagens saindo de São Paulo e Rio de Janeiro até a capital chilena.

Além disso, em 2019, Orlando deixou de aparecer entre os destinos do Top 5, dando lugar a Buenos Aires.

“Esse crescimento de buscas para destinos como Santiago do Chile (esse ano em primeiro lugar) e Buenos Aires, acontece não só em função da entrada de low costs como a Sky, mas também devido à alta do dólar, que faz com que destinos como os dos EUA sejam menos atrativos”, explica.

No primeiro semestre de 2018, a antecedência de compra foi de 82 dias. Comparado a este ano, houve um aumento de mais de 25 dias, o que mostra que os brasileiros estão planejando as suas viagens com cada vez mais antecedência. A predominância de compras em viagens em 2018 é exatamente a mesma em 2018 (feminina e com faixa etária de 25 a 34 anos), contudo as compras de passagens aéreas via desktop somavam 68%, enquanto mobile 32%. Em 2019, o desktop ainda é predominante, porém houve aumento significativo no número de acessos via dispositivos móveis, de quase 10%. (Da Redação)