Ignacio Galán destacou que a demanda por eletricidade no Brasil irá crescer 4% ao ano nos próximos anos | Crédito: REUTERS/Andrea Comas

São Paulo – A importância do Brasil para o grupo Iberdrola, os investimentos de longo prazo no País e a expectativa positiva em relação ao crescimento do mercado de energia, foram destaques do discurso do presidente da empresa, Ignacio Galán, durante painel no Fórum de Investimentos Brasil 2019, nesta quinta-feira (10).

Diante das oportunidades do país, a Iberdrola, por meio de sua controlada Neoenergia, prevê investimentos de R$ 30 bilhões no país até 2023 em projetos de geração, transmissão e distribuição de energia.

“A Iberdrola e a Neoenergia ratificam o seu compromisso com o crescimento do país, ao promover continuamente investimentos e desenvolvendo talentos locais, com a formação de seus funcionários. Dessa forma, geramos uma força impulsionadora da atividade econômica nas regiões onde atuamos, com benefício a nossos clientes e toda a sociedade”, ressaltou Galán.

O executivo estimou que a demanda por eletricidade aumentará 4% ao ano nos próximos cinco a dez anos, segundo dados oficiais, em razão do desenvolvimento econômico e social e da eletrificação com o avanço da economia digital.

“O investimento no setor de energia e, em particular, na eletricidade, é um dos principais motores de crescimento do Brasil na próxima década”, afirmou Galán, a uma plateia de executivos e autoridades.

Para que a expansão do setor se torne uma realidade, diz, é necessário, porém, que a regulação se mantenha previsível e que o planejamento seja adequado. “O Brasil possui estruturas sólidas, mas requer processos mais dinâmicos de licenciamento para a antecipação dos investimentos”, afirmou o presidente da Iberdrola.

O executivo disse ainda que a liberalização do mercado constitui “uma oportunidade adicional” para o Brasil. “Mas será muito relevante permitir que os diferentes agentes acessem os clientes finais para aumentar a gama de produtos e serviços disponíveis”, ressaltou o presidente da Iberdrola, em sua fala.

Ignacio Galán destacou também a importância do Brasil na estratégia global do grupo e o sucesso da Neoenergia, que neste ano realizou seu IPO – o maior do setor desde 2004. A Iberdrola atua há 22 anos no Brasil.

Renováveis – O presidente da Iberdrola destacou o avanço do grupo para focar sua atuação em fontes renováveis, armazenamento, redes digitais e soluções para os consumidores, com investimentos sempre em consonância com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU. “Demonstramos que é possível combinar rentabilidade com respeito e promoção do desenvolvimento sustentável”, afirmou Galán.

De acordo com Galán, as energias eólica e solar estão se expandindo fortemente, impulsionadas pelos recursos abundantes no Brasil, o que abre espaço para o armazenamento e a geração térmica.

“A instalação de mais fontes renováveis exigirá o aumento da capacidade de armazenamento e fontes de backup. Baterias e usinas a gás serão necessárias. para evitar gargalos enfrentados no passado”, disse.

(Reuters)