Publicidade
21/01/2018
Login
Entrar

Economia

10/01/2018

IGP-DI fecha ano com queda de 0,42%

Índice perdeu força em dezembro e subiu 0,74%, de acordo com informações da FGV
AE
Email
A-   A+
Tarifa de energia residencial apresentou redução de 2,93%no último mês do ano passado/Pixabay/Divulgação
Rio - O Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou alta de 0,74% em dezembro ante um aumento de 0,80% em novembro, divulgou ontem a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com o resultado, o IGP-DI acumulou uma redução de 0,42% no ano de 2017. Em 2016, o IGP-DI havia registrado alta de 7,18%.

O IPA-DI, que representa o atacado, teve alta de 1,07% em dezembro, após a elevação de 1,06% registrada em novembro.

O IPC-DI, que apura a evolução de preços no varejo, teve um aumento de 0,21% em dezembro, ante um crescimento de 0,36% em novembro. A conta de luz mais barata ajudou a frear a inflação ao consumidor.

Três das oito classes de despesa apresentaram taxas de variação menores. A maior contribuição para a desaceleração do IPC-DI partiu do grupo Habitação, que passou de alta de 0,77% em novembro para uma queda de 0,33% em dezembro. Nessa classe de despesa, o item tarifa eletricidade residencial saiu de uma elevação de 3,98% para uma redução de 2,93%.

Os demais decréscimo ocorreram em Comunicação (de 0,40% para -0,07%) e Transportes (de 0,80% para 0,78%), com destaque para os itens mensalidade para TV por assinatura (de 3,87% para 0,45%) e gasolina (de 3,17% para 2,07%), respectivamente.
Na direção oposta, as taxas foram mais elevadas nos grupos Alimentação (de -0,26% para 0,27%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,39% para 0,45%), Vestuário (de 0,01% para 0,11%), Despesas Diversas (de 0,08% para 0,21%) e Educação, Leitura e Recreação (de 0,33% para 0,37%), sob influência de itens como hortaliças e legumes (de -3,91% para -0,29%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de -0,31% para 0,10%), roupas (de -0,01% para 0,17%), alimentos para animais domésticos (de -0,61% para 1,89%) e excursão e tour (de 1,02% para 2,59%).

IPAs - Os preços dos produtos agropecuários no atacado mensurados pelo IPA Agrícola subiram 0,81% em dezembro, após terem avançado 0,85% em novembro, dentro do IGP-DI. Já os produtos industriais medidos pelo IPA Industrial registraram avanço de 1,15% em dezembro, depois de uma elevação de 1,14% no atacado em novembro.

Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais tiveram alta de 0,45% em dezembro, ante um aumento de 0,61% em novembro.

Os preços dos bens intermediários subiram 0,46% em dezembro, após avançarem 1,98% em novembro. Os preços das matérias-primas brutas registraram alta de 2,62% em dezembro, depois de subirem 0,52% em novembro.

Leia também:
IPC-S da Capital tem alta de 0,07%

Núcleo do IPC-DI -
O núcleo do Índice de Preços ao Consumidor - Disponibilidade Interna (IPC-DI) de dezembro subiu 0,33%, após um aumento de 0,23% em novembro. O núcleo do IPC-DI é usado para mensurar tendências e calculado a partir da exclusão das principais quedas e das mais expressivas altas de preços no varejo. Ainda de acordo com a FGV, o núcleo acumulou uma elevação de 3,17% no ano de 2017.

Materiais de construção - As despesas com materiais na construção subiram menos em dezembro, o que levou a uma desaceleração na inflação do setor dentro do IGP-DI. O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,07% em dezembro, após uma alta de 0,31% em novembro.

O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços teve elevação de 0,11% no último mês, ante um avanço de 0,63% no mês anterior. Já o índice que representa o custo da Mão de Obra subiu 0,05% em dezembro, mesma variação registrada em novembro (0,05%).

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/01/2018
Empresário mineiro segue mais confiante
Em janeiro, o Icei-MG chegou a 50,7 pontos, o melhor resultado para o mês nos últimos sete anos
20/01/2018
Montadoras reivindicam créditos tributários
Brasília - Com o fim do Inovar Auto em dezembro e sem definição do novo programa automotivo, chamado de Rota 2030, as empresas de automóveis tentam que os...
20/01/2018
Índice de investimentos de empresas caiu 0,7% em novembro ante outubro
Brasília - O indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), divulgado na sexta-feira, 19, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), sofreu uma queda de...
20/01/2018
Faturamento recua no interior de Minas
Quatro regionais apresentaram queda na receita em novembro, conforme levantamento da Fiemg
20/01/2018
Exportações mineiras devem continuar em alta em 2018
Especialistas estimam aumento de 7%
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.