Publicidade
23/04/2018
Login
Entrar

Agronegócio

14/03/2018

Previsão para o País é de queda de 5,2%

Da Redação
Email
A-   A+
As primeiras estimativas do valor da produção agropecuária (VBP) para este ano mostram a quantia de R$ 515,9 bilhões, 5,2% abaixo de 2017 (R$ 544,2 bilhões). O montante das lavouras é de R$ 346,1 bilhões e o da pecuária, de R$ 169,8 bilhões. Ambos apresentam redução em relação ao ano passado, de 5,7% e de 4,1%, respectivamente, de acordo com dados levantados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Entre 17 produtos das lavouras, oito vêm apresentando aumento do faturamento neste ano. São eles: algodão, com alta de 15,4%; batata-inglesa (8,1%), cacau (8%), café (3,6%), mamona (68,7%), soja (0,8%), tomate (35,1%) e trigo (48,9%).
De acordo com o coordenador-geral de Estudos e Análises da Secretaria de Política Agrícola, José Garcia Gasques, “esse grupo vem se beneficiando de preços mais elevados do que no ano passado e simultaneamente de aumentos de produção. É o caso da soja, produto que, nos últimos cinco anos, tem apresentado valor da produção ascendente. Além disso, lidera a produção com R$ 120,4 bilhões, representando 34,7% do valor das lavouras. Os demais mostram descontinuidade na trajetória do valor”.

Em baixa - No grupo que tem apresentado menores valores na comparação com 2017, as maiores baixas ocorreram no arroz (-7,9%), cana-de-açúcar (-11,9%), feijão (-26,4%), laranja (-21,5%), milho (-12,2%) e uva (-30%). Milho, cana-de-açúcar e laranja têm participação expressiva no valor total, por isso, seus resultados têm forte impacto no faturamento da agricultura como um todo, explicou o coordenador geral de Estudos e Análises.

O valor da produção da pecuária caiu 4,1% em relação a 2017, afetado pelo desempenho desfavorável da carne de frango, suína, leite e ovos. Na avaliação de Gasques, todos esses produtos apresentam, neste ano, preços menores do que em 2017. A carne de frango tem registrado queda continuada dos preços nos dois últimos anos. A pecuária bovina praticamente mantém o mesmo resultado em relação ao ano passado, R$ 70,6 bilhões e lidera o faturamento da pecuária.

Os resultados regionais mostram que continua a liderança do Centro-Oeste, seguida do Sul, Sudeste, Nordeste e Norte. Como foi observado no relatório anterior, é a primeira vez que isso acontece, pois o Sul se mantinha como líder até o ano passado. Entre os estados, Mato Grosso ocupa a primeira posição no valor da produção, até então liderada por São Paulo.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/04/2018
Crise afeta agronegócio em MG, e PIB recua 5,9% em 2017
Desempenho do Estado foi influenciado principalmente pela agricultura
21/04/2018
Carne de frango deve ficar mais barata
Brasília - O embargo da União Europeia (UE) ao frango brasileiro poderá tornar o produto mais barato no Brasil, de acordo com a Associação Brasileira de...
21/04/2018
BB prorroga parcelas de custeio e investimento para produtores
O Banco do Brasil (BB) atendeu a um pedido da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos...
21/04/2018
Governo vai comprar até 70 mil t de arroz e fará leilão de milho
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por intermédio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), fará a Aquisição do governo...
20/04/2018
UE veta importação de 20 frigoríficos
Embargo às exportadoras de carne do País foi anunciado pela Comissão Europeia
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


20 de abril de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.