24/06/2018
Login
Entrar

Economia

09/06/2018

Volume de cargas movimentadas cai 0,5% no 1º tri

Abr
Email
A-   A+
Entre os grupos de mercadorias com maiores movimentações, destaque para o minério de ferrro/Agência Vale/Divulgação
Brasília - A movimentação de cargas nos portos públicos cresceu 3,2% no primeiro trimestre de 2018 e nos terminais privados houve uma queda de 2,3% no mesmo período. Os dados constam do boletim informativo Aquaviário do 1º Trimestre de 2018, divulgado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

De acordo com a Antaq o total de cargas movimentadas no primeiro trimestre foi de 249,2 milhões de toneladas no período, dos quais 84,1 milhões nos terminais públicos e 165,1 nos privados. O resultado representa queda de 0,5%, cerca de 1,2 milhão de toneladas, em relação ao primeiro trimestre de 2017.

Mercadorias - O granel sólido continuou com participação significativa na movimentação de cargas do País, representando 61,8% do total movimentado no período. O granel líquido e gasoso vem em seguida, com 22,1% do total de cargas. Em terceiro lugar aparecem os contêineres, com 10,6% do volume total transportado. As demais cargas somam 5,5%.

Entre os grupos de mercadorias de maiores movimentações no primeiro trimestre de 2018, o destaque é para o minério de ferro, com 87,5 milhões de toneladas. A movimentação do minério, entretanto, apresentou queda de 6,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Em segundo lugar vem o petróleo, com 48,7 milhões de toneladas e decréscimo de 1,1%. Os contêineres foram a terceira carga mais movimentada, com 26,4 milhões de toneladas e crescimento de 11,5%.

Outros destaques no primeiro trimestre de 2018 foram o milho, com 3,7 milhões de toneladas movimentadas e aumento de 88,2%, e a soja, com 24,2 milhões de toneladas e aumento de 5,1% em relação a igual período do ano passado.

Terminais - Entre os portos públicos, os dez principais terminais operaram aproximadamente 72,2 milhões de toneladas, o que corresponde a 85,9% da movimentação total dos 30 portos que registraram movimentos de cargas nesse primeiro trimestre de 2018.

“Destaca-se, sob a visão das cargas movimentadas, o crescimento da movimentação nos portos organizados de Paranaguá, no Paraná (13,8%), de Santos (9,3%), de Santarém (31,4%) e de São Francisco do Sul (3,9%), quando comparados ao primeiro trimestre de 2017”, diz o balanço da Antaq.

Já entre os portos públicos que apresentaram queda na movimentação estão os de Itaguaí, com redução no volume total de 4,6% e de 8,9% na movimentação de minério de ferro, sua principal mercadoria, e o de Vila do Conde, com recuo de 20,7%.
Nos portos privados, o balanço da Antaq afirma que o recuo de 2,3% na movimentação reflete a queda na movimentação de minério de ferro, de 5,9%; do petróleo, de 3,0% e de bauxita, de 2,4%.

O destaque entre os terminais privados é o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, que na comparação com o 1º trimestre de 2017 teve alta de 8,5%, um incremento de aproximadamente 3,2 milhões de toneladas. O Terminal Aquaviário de Angra do Reis também aparece em destaque com 24,5% de aumento na movimentação em comparação ao mesmo período de 2017. Já o terminal de Tubarão, segundo em movimentação, com 21,9 milhões de toneladas, apresentou queda de 181% na movimentação de cargas.

Destinos - Em relação ao total de cargas exportadas, a China aparece como o principal destino, com 47,2% do total de cargas exportadas. No primeiro trimestre de 2018, os portos brasileiros transportaram 68,9 milhões de toneladas para o país asiático. Em seguida vem a Malásia, com 5,1% do total de cargas e 7,4 de toneladas exportadas. Em terceiro lugar vem a Holanda, com 4,8% das cargas exportadas, um volume de 7 milhões de toneladas.

Já nas importações, o principal parceiro são os Estados Unidos, com 24,3% das cargas importadas, totalizando um volume de 8,1 milhões de toneladas. A Argentina vem em segundo lugar, com 2.8 milhões de toneladas e 8,6% de participação. A China aparece em terceiro lugar, com 8,1% das importações e 2,7% das importações.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

23/06/2018
Torcida não aquece as vendas no hipercentro
Giro caiu com greve dos caminhoneiros
23/06/2018
Prestadoras de serviços terrestres cogitam dispensa de pessoal com reoneração
Se perderem neste ano os benefícios fiscais com o projeto de reoneração da folha de pagamento, as empresas de ground handling (que prestam serviços terrestres de apoio...
23/06/2018
Liminar contrária não abala Mendes Júnior
Advogado da construtora afirma que decisão do TJMG não invalida plano apresentado pela construtora
23/06/2018
Primeiro leilão da Aneel prevê R$ 6 bi
São Paulo - O primeiro leilão de linhas de transmissão de 2018 do Brasil, promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), prevê R$ 6...
23/06/2018
BR Distribuidora aguarda decisão do TRT para mensurar os impactos
São Paulo - A BR Distribuidora afirma ter processos com perfil similar aos da Petrobras no tocante ao julgamento do Tribunal Superior do Trabalho (TST) da quinta-feira (21), e que...
› últimas notícias
Torcida não aquece as vendas no hipercentro
Prestadoras de serviços terrestres cogitam dispensa de pessoal com reoneração
Liminar contrária não abala Mendes Júnior
Primeiro leilão da Aneel prevê R$ 6 bi
BR Distribuidora aguarda decisão do TRT para mensurar os impactos
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


23 de junho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.