14/06/2011 - BMG anuncia a compra da GE Money

A operação engloba o Banco GE Capital e a promotora de vendas e prestadora de serviços GE Promoções. LEONARDO FRANCIA. ALISSON J. SILVA A aquisição permitirá investimento ainda maior no crédito consignado A aquisição permitirá investimento ainda maior no crédito consignado O Banco BMG, sediado na Capital, anunciou ontem a compra da GE Money no Brasil, que engloba o Banco GE Capital S/A e a promotora de vendas e prestadora de serviços GE Promoções. Apesar de não divulgar os detalhes financeiros da operação, o objetivo do BMG, conforme afirma, em nota, o presidente da instituição, Ricardo Guimarães, é "aproveitar a estrutura para investir e focar ainda mais no crédito consignado". Guimarães também confirma que o BMG "vai avaliar a possibilidade de aderir a alguns dos produtos já oferecidos" pela GE Money, o que, conforme analistas de mercado ouvidos pela reportagem, pode envolver operações de leasing e crédito direto ao consumidor (CDC). A transação, para o analista da Amaril Franklin Corretora, Eduardo Machado, envolve dois aspectos fundamentais. "O primeiro é fortalecer a carteira de crédito consignado do banco e até incorporar outras modalidades de concessão de crédito como o CDC e o leasing. O outro ponto é reforçar a área de atuação através dos pontos de venda da GE", analisa. Conforme o comunicado enviado ao mercado pelo banco, a transação inclui a totalidade da GE Money Brasil, além de parcerias com varejistas já existentes e as 54 lojas da rede. A aquisição vai permitir ao BMG ampliar os pontos de atendimento no Brasil, que já somam mais de três mil. A GE Money Brasil é parte da divisão GE Capital, uma das maiores fornecedoras mundiais de crédito. No Brasil, a GE mantém atividades desde 1919, com escritórios de vendas e marketing distribuídos em diversos estados e com unidades industriais em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. ALISSON J. SILVA Com a aquisição, BMG reforçará atuação no mercado através dos pontos da GE Com a aquisição, BMG reforçará atuação no mercado através dos pontos da GE Estratégia - O analista da Geraldo Corrêa CVM S/A, Douglas Kiarelly Godoy de Araújo, avalia que a operação faz parte da estratégia do banco. "O BMG adotou uma política agressiva de aquisições para intensificar a atuação na modalidade de crédito consignado, como vimos no final de abril, quando a instituição comprou o Banco Schahin", lembra. No final daquele mês, o BMG comunicou ao mercado a celebração de memorando de entendimentos para a aquisição do controle acionário do Banco Schahin S/A. A operação estava estimada pelo banco em cerca de R$ 230 milhões. A transação ainda está sujeita à realização de due diligence (verificação fiscal, financeira e contábil da entidade a ser adquirida) e também depende da aprovação do Banco Central. Conforme os dados do Banco Central, o BMG é o 22º maior banco brasileiro, com ativos de R$ 11,5 bilhões. A instituição é a segunda maior no segmento de crédito consignado, atrás apenas do Banco do Brasil. O BMG atua em todo o território nacional por meio de correspondentes e agentes bancários. O BMG conta com a parceria de 1.044 correspondentes bancários, cerca de 30 mil agentes consignados, 3.098, pontos de vendas totais, sendo 557 próprios, 547.000 cartões ativos, 395 convênios públicos, 30 convênios privados e mais de quatro milhões de clientes.