21/07/2018
Login
Entrar




Finanças

13/07/2018

Ibovespa sobe com ajuda de commodities; dólar também fecha em alta

Reuters
Email
A-   A+
São Paulo - O Ibovespa encerrou com avanço de quase 2% ontem, na máxima em cinco semanas, favorecido pelo avanço de commodities e bolsas no exterior, com ações de companhias de mineração e siderurgia entre as maiores altas, embora o giro financeiro tenha sido novamente mais fraco.

O principal índice de ações da B3 subiu 1,96%, a 75.856 pontos, encerrando próximo da máxima da sessão, de 75.897 pontos. O volume financeiro totalizou R$ 9,7 bilhões, novamente abaixo da média do ano, de R$ 11,7 bilhões. Em julho, o giro médio diário está em R$ 8,14 bilhões. No mês anterior, foi de R$ 13 bilhões.

Profissionais da área de renda variável têm atribuído a menor liquidez ao começo da temporada de férias no hemisfério Norte, além do quadro ainda bastante indefinido para as eleições no Brasil, economia doméstica debilitada e expectativa para o começo da temporada de resultados de segundo trimestre na próxima semana.

“O mercado aguarda novas notícias que possam gerar impacto para impulsionar o índice e melhorar o volume”, disse o analista de ações da corretora Genial Filipe Villegas.

Dólar – A moeda norte-americana fechou ontem com leve alta frente ao real, tendo como pano de fundo a cena política do País, com as eleições presidenciais cada vez mais próximas. O dólar avançou 0,08%, a R$ 3,8841 na venda, depois de ter encerrado o pregão passado com forte aumento de mais de 2%. O dólar futuro tinha alta de cerca de 0,17% no fim do dia.

“Os mercados globais operam no campo positivo, dissipando parte do movimento de aversão ao risco observado ontem (quarta-feira)”, escreveu a equipe de economistas do banco Bradesco em relatório, referindo-se à afirmação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que o comprometimento de Washington com a Otan “continua muito forte”.

No exterior, o dólar era negociado em alta frente a uma cesta de moedas e recuava frente a divisas de países emergentes, como os pesos chileno e mexicano.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/07/2018
Governo reduz projeção de crescimento do País
Em novo documento, estimativa para avanço do PIB sofreu corte significativo, saindo de 2,5% para 1,6%
21/07/2018
Dólar despenca e tem maior recuo semanal em 5 meses
São Paulo - O dólar despencou e foi abaixo de R$ 3,80, na sexta-feira (20), com os investidores respirando mais aliviados diante da cena eleitoral doméstica e sob...
21/07/2018
Caixa pode receber R$ 1,8 bi da União
São Paulo - A Caixa Econômica Federal receberá neste ano uma capitalização de R$ 1,8 bilhão de seu controlador, o governo federal, com recursos de...
21/07/2018
Alocação de recursos ainda será discutida
Brasília - O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, disse, na sexta-feira (20), que o governo decidirá até o fim deste mês onde irá alocar os R$ 666,6...
20/07/2018
Dinheiro lidera meios de pagamento
Apesar de uso ter caído em 5 anos, cédulas e moedas ainda são as preferidas da população
› últimas notícias
Renovação da concessão da EFVM pode ser resolvida na Justiça
Pessimismo aumenta na indústria mineira
Minas mantém sequência de superávit
Brasil fecha 661 vagas com carteira assinada
Governo quer leilão da Eletrobras até agosto
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


21 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.