Publicidade
23/04/2018
Login
Entrar

Negócios

17/04/2018

Ferramentas ajudam na implantação dos ODS

Papel das empresas e dos empresários chamou a atenção da plateia presente na 15ª edição do Diálogos DC
Daniela Maciel
Email
A-   A+
Secretário-executivo do Pacto Global, Pereira apresentou ferramentas que auxiliam na implanatação dos ODS nas empresas/Michelle Mulls
As redes locais do Pacto Global da ONU se dedicam a traduzir os ODS para as empresas, possibilitando que elas usem essas metas para promover melhores práticas corporativas e oportunidades de crescimento sustentável. Recursos como SDG Compass, Matrizes Setoriais para os ODS e Poverty Footprint, disponibilizados em inglês, auxiliam as organizações a tomar medidas sustentáveis.

O SDG Compass é uma publicação com informações de como os ODS afetam os negócios, oferecendo ferramentas e conhecimento para colocar a sustentabilidade no centro da estratégia da organização. Para entender as oportunidades de negócios apresentadas pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e reduzir riscos, as empresas são encorajadas a definir suas prioridades, baseadas na avaliação de seus aspectos positivos e negativos nos ODS, considerando sua cadeia de valor.

No guia “Um Pacto Global para o desenvolvimento Sustentável” há orientações de como as empresas podem ajudar a avançar no cumprimento da Agenda 2030, operando alinhadas com os ODS. Por meio de um compromisso com o Pacto Global, as empresas têm acesso a uma gama de ferramentas para aumentar os seus esforços.

A publicação “Matrizes setoriais para os ODS” expõe casos específicos por setor, com exemplos e ideias para ações corporativas relacionadas aos ODS. Uma série de edições com cada matriz apresentará as principais ações e decisões tomadas por diversas empresas para os ODS.

O Poverty Footprint é uma ferramenta de avaliação que possibilita empresas e sociedade civil fazerem parcerias para a compreensão doa impactos corporativos multidimensionais da pobreza. Como uma ferramenta que ajuda a implementar os ODS, o guia promove o engajamento entre as partes interessadas e a parceria entre empresas e sociedade civil como forma de estabelecer estratégias de negócios para a redução da pobreza.

A publicação Contribuições das Associações Empresariais e Iniciativas Setoriais para o Desenvolvimento Sustentável apresenta exemplos de como as associações empresariais podem e estão contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

Já o guia “Implementando modelos de negócios inclusivos dá detalhes sobre modelos de negócios inclusivos e como empresas podem endereçar limitações internas e externas à sua implementação. Este manual também induz as empresas a alcançarem perspectivas únicas e contribuições para pessoas de baixa renda, funcionários e partes interessadas na sua cadeia de valor e comunidade.

Finalmente, a publicação “Empresas: uma força poderosa para promover o entendimento entre religiões e paz” oferece uma importante contribuição nas duas áreas, trazendo benefícios para as empresas e as sociedades nas quais operam.


REDES LOCAIS COLABORAM NA DISSEMINAÇÃO

As redes locais do Pacto Global da ONU se dedicam a traduzir os ODS para as empresas, possibilitando que elas usem essas metas para promover melhores práticas corporativas e oportunidades de crescimento sustentável. Recursos como SDG Compass, Matrizes Setoriais para os ODS e Poverty Footprint, disponibilizados em inglês, auxiliam as organizações a tomar medidas sustentáveis.

O SDG Compass é uma publicação com informações de como os ODS afetam os negócios, oferecendo ferramentas e conhecimento para colocar a sustentabilidade no centro da estratégia da organização. Para entender as oportunidades de negócios apresentadas pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e reduzir riscos, as empresas são encorajadas a definir suas prioridades, baseadas na avaliação de seus aspectos positivos e negativos nos ODS, considerando sua cadeia de valor.

No guia “Um Pacto Global para o desenvolvimento Sustentável” há orientações de como as empresas podem ajudar a avançar no cumprimento da Agenda 2030, operando alinhadas com os ODS. Por meio de um compromisso com o Pacto Global, as empresas têm acesso a uma gama de ferramentas para aumentar os seus esforços.
A publicação “Matrizes setoriais para os ODS” expõe casos específicos por setor, com exemplos e ideias para ações corporativas relacionadas aos ODS. Uma série de edições com cada matriz apresentará as principais ações e decisões tomadas por diversas empresas para os ODS.

O Poverty Footprint é uma ferramenta de avaliação que possibilita empresas e sociedade civil fazerem parcerias para a compreensão doa impactos corporativos multidimensionais da pobreza. Como uma ferramenta que ajuda a implementar os ODS, o guia promove o engajamento entre as partes interessadas e a parceria entre empresas e sociedade civil como forma de estabelecer estratégias de negócios para a redução da pobreza.
A publicação Contribuições das Associações Empresariais e Iniciativas Setoriais para o Desenvolvimento Sustentável apresenta exemplos de como as associações empresariais podem e estão contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

Já o guia “Implementando modelos de negócios inclusivos dá detalhes sobre modelos de negócios inclusivos e como empresas podem endereçar limitações internas e externas à sua implementação. Este manual também induz as empresas a alcançarem perspectivas únicas e contribuições para pessoas de baixa renda, funcionários e partes interessadas na sua cadeia de valor e comunidade.

Finalmente, a publicação “Empresas: uma força poderosa para promover o entendimento entre religiões e paz” oferece uma importante contribuição nas duas áreas, trazendo benefícios para as empresas e as sociedades nas quais operam.

CONHEÇA O ODS 11: TORNAR AS CIDADES E OS ASSENTAMENTOS HUMANOS INCLUSIVOS, SEGUROS, RESILIENTES E SUSTENTÁVEIS

11.1 Até 2030, garantir o acesso de todos à habitação segura, adequada e a preço acessível, e aos serviços básicos e urbanizar as favelas.

11.2 Até 2030, proporcionar o acesso a sistemas de transporte seguros, acessíveis, sustentáveis e a preço acessível para todos, melhorando a segurança rodoviária por meio da expansão dos transportes públicos, com especial atenção para as necessidades das pessoas em situação de vulnerabilidade, mulheres, crianças, pessoas com deficiência e idosos.

11.3 Até 2030, aumentar a urbanização inclusiva e sustentável, e as capacidades para o planejamento e gestão de assentamentos humanos participativos, integrados e sustentáveis, em todos os países.

11.4 Fortalecer esforços para proteger e salvaguardar o patrimônio cultural e natural do mundo.

11.5 Até 2030, reduzir significativamente o número de mortes e o número de pessoas afetadas por catástrofes e substancialmente diminuir as perdas econômicas diretas causadas por elas em relação ao produto interno bruto global, incluindo os desastres relacionados à água, com o foco em proteger os pobres e as pessoas em situação de vulnerabilidade.

11.6 Até 2030, reduzir o impacto ambiental negativo per capita das cidades, inclusive prestando especial atenção à qualidade do ar, gestão de resíduos municipais e outros.

11.7 Até 2030, proporcionar o acesso universal a espaços públicos seguros, inclusivos, acessíveis e verdes, particularmente para as mulheres e crianças, pessoas idosas e pessoas com deficiência.

11.a Apoiar relações econômicas, sociais e ambientais positivas entre áreas urbanas, periurbanas e rurais, reforçando o planejamento nacional e regional de desenvolvimento.

11.b Até 2020, aumentar substancialmente o número de cidades e assentamentos humanos adotando e implementando políticas e planos integrados para a inclusão, a eficiência dos recursos, mitigação e adaptação às mudanças climáticas, a resiliência a desastres; e desenvolver e implementar, de acordo com o Marco de Sendai para a Redução do Risco de Desastres 2015-2030, o gerenciamento holístico do risco de desastres em todos os níveis.

11.c Apoiar os países menos desenvolvidos, inclusive por meio de assistência técnica e financeira, para construções sustentáveis e resilientes, utilizando materiais locais.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/04/2018
Marca mineira Luiz Rocca estima crescer 150% neste ano
Empresa de calçados foi criada em 2014
21/04/2018
Gou Odonto vai inaugurar três unidades em Minas
Para ampliar a sua atuação em Minas Gerais, a franquia de consultórios odontológicos Gou Odonto, vai inaugurar três novas unidades no Estado este ano. Somando-se...
20/04/2018
A sorte privilegia os persistentes: como a Welle Laser se reinventou depois da crise
A crise financeira levou a Welle Laser a sair de 70 para 17 pessoas. Veja quais foram as mudanças que ajudaram os irmãos Bottós a se reerguer depois da tempestade
20/04/2018
Produtos feitos à mão ganham mercado
Empreendimentos que trabalham neste segmento vêm registrando crescimento nos negócios
20/04/2018
Landix Sistemas pretende duplicar a receita em dois anos
Empresa deve executar novos projetos na América Latina neste ano
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


20 de abril de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.