19/06/2018
Login
Entrar

Agronegócio

13/06/2018

Safra mineira de grãos deve superar recorde

Estimativa para 2017/2018 é de 14,37 milhões de toneladas, alta de 2,1% frente ao ciclo anterior
Michelle Valverde
Email
A-   A+
Entre os produtos, destaque para a soja, com aumento de 9,4% em volume, e para o algodão, com área 60% maior/Guto Andrade/MCPress/Divulgação
O clima favorável e os constantes investimentos em tecnologia estão contribuindo para que Minas Gerais colha mais uma safra recorde de grãos. De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), na safra 2017/18, o Estado deverá colher 14,37 milhões de toneladas de grãos, superando em 2,1% o volume registrado na safra 2016/17, que até então era o recorde estadual. Neste ano, os destaques são a soja e o algodão.

Segundo os dados do 9º Acompanhamento da Safra Brasileira de Grãos, neste ano safra, o crescimento da produção vem sendo favorecido pelo ganho em produtividade. Ao todo, é esperado um rendimento por hectare de 4,31 toneladas, alta de 3,2% frente ao volume registrado na safra passada. Enquanto a produtividade ficou maior, a área cultivada retraiu 1,1% com o uso de 3,33 milhões de hectares.

Dentre os produtos, destaque para a soja. Por mais um ano, a colheita da oleaginosa em Minas Gerais será recorde. A Conab aponta para uma safra 9,4% superior à registrada no ano passado, somando 5,54 milhões de toneladas.

Com preços mais remuneradores e alta liquidez, os produtores investiram na área de cultivo da soja, que foi expandida em 3,6%, somando 1,5 milhão de hectares. O clima adequado para o desenvolvimento das lavouras, aliado aos pacotes tecnológicos, também contribuiu para o aumento da produtividade. O rendimento médio por hectare esperado na cultura da soja é de 3,67 toneladas, variação positiva de 5,6%. A colheita já está praticamente concluída.

“Em Minas Gerais, nos últimos anos, estamos observando o aumento do plantio de soja. No ano passado, a soja representava 36,8% da produção estadual de grãos e o milho 51,8%. Agora estamos com uma participação de 38% da soja e de 50% de milho. Este aumento vem ocorrendo ao longo dos últimos anos e tem como principais fatores o aumento dos preços da soja e a possibilidade de o produtor plantar duas safras, sendo a primeira com a soja precoce e a segunda com o milho”, explicou o superintendente de Abastecimento e Economia Agrícola da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), João Ricardo Albanez.

Algodão - A demanda mundial elevada pelo algodão e os preços altos também estimularam os investimentos na safra 2017/18. Os produtores mineiros aumentaram em 60% a área de cultivo do algodão, que somou 25 mil hectares. Com o aumento da área dedicada ao plantio da cultura, a produção mineira foi estimada em 91,9 mil toneladas de algodão em caroço, incremento de 57,6%. Já a produtividade apresentou recuo de 1,7%, com rendimento médio estimado em 3,6 toneladas por hectare.

Na safra atual, a produção de algodão em pluma deve alcançar 36,8 mil toneladas, variação positiva de 62,1%.

De acordo com Albanez, o mercado segue favorável ao algodão em plumas. Além da demanda internacional aquecida, o parque têxtil instalado em Minas Gerais demanda grandes volumes, o que também estimula os investimentos na cultura.

“O crescimento na produção de algodão é muito importante para abastecer nossa indústria têxtil. Além disso, no Estado temos o Programa Mineiro de Incentivo à Cultura do Algodão (Proalminas), projeto que estimula os negócios entre produtores e a indústria. O produtor que comercializa o algodão com a indústria local recebe o valor definido pelo mercado, mais uma percentagem. É uma oportunidade diferenciada”, disse.

Leia também:
Conab projeta segunda maior colheita no País
Preços baixos reduzem área de plantio do feijão
IBGE aponta queda na produção, mas volume continua alto


Milho - O milho, importante produto para o Estado, apresentou retração no plantio da primeira safra, em função da migração de produtores para a soja, e aumento na segunda safra. De acordo com os dados da Conab, a produção mineira do cereal na primeira safra foi de 5,39 milhões de toneladas, volume 6,9% inferior ao registrado em igual safra do ano passado. A área de cultivo retraiu 9,2% somando 825,7 mil hectares. A produtividade da cultura foi favorecida pelo clima e apresentou aumento de 2,5%, com rendimento médio de 6,5 toneladas por hectare.

Assim como observado nas últimas safras, a produção de milho na segunda safra foi ampliada em 9,4% e chegou a 1,88 milhão de toneladas. No período houve recuo de 4,1% na área de cultivo, que somou 342,9 mil hectares. A produtividade está 14,1% superior e a expectativa é colher 5,5 toneladas por hectare.

Caso as expectativas sobre a produção de milho se concretizem, Minas Gerais colherá na safra 2017/8 7,28 milhões de toneladas do cereal, volume 3,2% inferior às 7,52 milhões de toneladas geradas na safra passada.

Sorgo - Em Minas Gerais, a área de sorgo está estimada em 215 mil hectares, 17,4% superior à safra passada. O aumento da produção se deve ao produto ser mais resistente à escassez hídrica. Este ano, a janela de plantio para o milho segunda safra foi menor, o que estimulou os produtores a investirem no sorgo. A produtividade inicialmente estimada para a cultura é de 3,53 toneladas por hectare. A expectativa é colher 759 mil toneladas de sorgo, o que, se alcançado, será 15,5% maior. A colheita está prevista para julho e agosto.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

19/06/2018
Megaleite deve girar R$ 25 milhões, com atenção para genética
Feira acontece de 20 a 23 de junho
19/06/2018
Produtores e consumidores têm nova relação
Brasília - Apesar de o Brasil ainda ser um país de baixa escolaridade (51% concluiu apenas o ensino fundamental e há elevado índice de analfabetismo funcional), o...
19/06/2018
Copersucar prevê menor produção de açúcar
São Paulo - A brasileira Copersucar, maior comerciante global de açúcar e etanol, espera uma produção menor de açúcar no Centro-Sul do País...
16/06/2018
Queijo Minas recebe sinal verde para ganhar o território brasileiro
Até então, o comércio interestadual de produtos artesanais de origem aninal só era permitido com o SIF
16/06/2018
Coleta de Sempre-Vivas pode ganhar selo
Minas Gerais pode ter o primeiro Patrimônio Agrícola Mundial brasileiro. É o sistema de agricultura tradicional da Serra do Espinhaço, no Território Alto...
› últimas notícias
Preço do diesel recua R$ 0,41 em Minas
Mais de 40% das empresas usam planilhas ao contratar
Inadimplência recua na Capital
TCU vai apurar se cobrança por despacho de bagagem reduziu preços das passagens
Governo espera movimentar a economia com liberação de saques
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


19 de junho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.