Publicidade
24/05/2018
Login
Entrar

Legislação

21/04/2018

Abertura de empresas registra crescimento de 12,8% em Minas Gerais

MEIs foram responsáveis por 34,2% do total de constituições
Leonardo Francia
Email
A-   A+
O fechamento de empresas no 1º trimestre subiu 12%, diz a Jucemg/Alisson J. Silva
O número de empresas abertas no Estado no primeiro trimestre aumentou 12,8% em relação aos mesmos meses de 2017. Da mesma forma, a quantidade de empreendimentos que encerraram atividades cresceu 12%, no mesmo confronto. Os dados são da Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg).

De acordo com a Jucemg, o número de empresas abertas no Estado entre janeiro e março deste ano totalizou 11,4 mil contra 10,1 mil constituições no mesmo período de 2017, um crescimento de 12,8%. A maior parte das formalizações está relacionada à constituição de microempreendedores individuais (MEIs), que representou 34,2% dos processos.

Para a analista do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae Minas), Bárbara Alves, o crescimento, tanto das constituições quanto das extinções, reflete, também, uma série de iniciativas para desburocratizar os dois processos implantadas nos últimos anos.

Por outro lado, Bárbara Alves explicou que a retomada gradual da atividade econômica do País, depois de anos de crise, incentiva pessoas desempregadas a abrir um negócio como uma tentativa de gerar renda. “A abertura de negócios pode refletir o processo de reaquecimento da economia e também a busca de pessoas desocupadas por uma opção de trabalho e renda”, acrescentou.

“(O MEI) É uma figura jurídica que não apresenta os mesmos riscos de micro e pequena empresa (MPE), até por conta da questão tributária diferenciada. É uma forma da pessoa começar seu negócio para, depois, ganhar fôlego e evoluir para se tornar uma microempresa. O MEI é uma porta de entrada para estas pessoas que estão na informalidade ou desocupadas de iniciar no mundo do empreendimento”, analisou.

No primeiro trimestre, 8,4 mil empresas foram extintas contra 7,5 mil processos em iguais meses de 2017, uma evolução de 12%. A Jucemg, por sua vez, também entende que a razão do aumento das extinções de empresas no Estado é consequência de uma série de melhorias e simplificações implantadas ao processo nos últimos anos. Desde agosto de 2014, o processo de fechamento de empresas conta com a isenção de certidões negativas.

Além disso, a sincronia de dados com a Receita Federal do Brasil e órgãos federais e a dispensa de comprovação de débitos fiscais para realizar a baixa também contribuem para facilitar e acelerar os processos de encerramento na Jucemg nos últimos anos.

Incertezas - A analista do Sebrae Minas alertou que, embora alguns indicadores, como juros baixos, inflação dentro da meta, menor endividamento das empresas, sinalizam que a economia nacional está em um movimento de retomada, a economia ainda depende da política.

“Este ano é um ano de incertezas, com eleições que podem ser até mais conturbadas que normalmente e a economia está cada vez mais condicionada ao ambiente político. Isso pode influenciar a percepção de consumidores e empresários no apetite de abrir um negócio”, ponderou.

Em relação às alterações de empresas, que representam, uma tentativa dos empresários de buscar novos mercados e, até mesmo, refletem o crescimento de alguns empreendimentos, foram 37,8 mil no trimestre inicial deste ano contra 46,5 mil nos mesmos meses de 2017, com uma redução de 18,8%.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

24/05/2018
Ministério planeja aumentar segurança jurídica de reforma
Medidas em estudo dispensam aval do Legislativo
24/05/2018
Conselheira do Cade pede condenação da Mitsubishi e da Toshiba
Brasília - A conselheira relatora Polyanna Vilanova, do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), votou ontem pela condenação da Mitsubishi Eletric...
24/05/2018
Bradesco vai pagar à vista correção dos planos econômicos
São Paulo - O Bradesco confirmou ontem que pagará à vista a correção dos planos econômicos de 1980 e 1990 aos poupadores que reivindicaram seu direito...
24/05/2018
Encontro de contas dos municípios é regulamentado
Brasília - A Secretaria da Receita Federal publicou no Diário Oficial da União (DOU) portaria para regulamentar o encontro de contas entre débitos e créditos...
24/05/2018
Presidente do Senado defende taxação de aplicativos de celular
São Paulo - O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), defendeu ontem, diante de uma plateia de prefeitos, que aplicativos de celular devem pagar impostos no...
› últimas notícias
Preço do etanol acompanha alta da gasolina na Capital
Plano Diretor da Capital é questionado
Sem acordo, caminhoneiros decidem continuar greve
Biomm aciona Anvisa para liberar remédio
Quatro de cada cinco empresas do País planejam investimentos para este ano
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


23 de maio de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.