Publicidade

Acervo

09/08/2016

ACERVO DC | Renúncia de Richard Nixon

09 de agosto de 1974
Da Redação
Email
A-   A+
Capa do Diário do Comércio em 09 de agosto de 1974/Daniel Lacerda/ArquivoDC
18 de junho de 1972. O jornal Washington Post estampava na capa o assalto ocorrido no dia anterior à sede do Comitê Nacional Democrata, no Complexo Watergate, em Washington, capital dos Estados Unidos.

Cinco pessoas foram presas por fotografar e instalar escutas no local.

Intrigados, os repórteres Bob Woodward e Carl Bernstein passaram a investigar a ocorrência, descobrindo um fato que desestabilizaria o projeto de reeleição do republicano Richard Nixon à presidência dos EUA: o depósito de um cheque no valor de 25 mil dólares, em nome de seu comitê, na conta de um dos invasores.

Tempo depois, em depoimento ao Senado, o advogado da Casa Branca confirmava que o esquema de espionagem disponibilizava gravações de telefonemas ao Salão Oval – escritório oficial da presidência – comprovando o envolvimento do presidente Nixon.

Com o impachment prestes a acontecer, além da condenação de assessores e integrantes da própria equipe, o republicano se viu obrigado a renunciar ao cargo em 8 de agosto de 1974.

O DIÁRIO DO COMÉRCIO, assim como outros grandes jornais do mundo, noticiou o que a imprensa da época considerava um dos maiores escândalos políticos de todos os tempos.

Confira trecho do que foi publicado no DC em 9 de agosto de 1974:

WATERGATE CHEGA AO SEU EPÍLOGO: NIXON RENUNCIOU

O “Watergate”, escândalo político sem precedentes na História dos Estados Unidos, teve ontem o seu epílogo, com a renúncia do presidente Richard Milhous Nixon. Gerard Ford tomará posse hoje ao meio dia, como 38º presidente dos Estados Unidos da América.
Nascido em 1913, ele é o primeiro a assumir a presidência do seu país sem ter sido eleito pelo povo. Nixon, por sua vez, é o primeiro presidente americano a renunciar. Antes dele, em 1867, Andrews Johnson foi afastado da Casa Branca através de processo político. Não podendo resistir à pressão que vinha sofrendo no Senado e na Câmara dos Representantes, Nixon, diante da possibilidade de ser destuído, enfrentando um processo previamente perdido, preferiu o caminho da renúncia comunicada ontem em discurso ao país, às 22 horas de Brasília. Em 1960, ele perdera para Kennedy. Foi eleito pela primeira vez em 1968 e reeleito em 1972, cabendo agora a Gerard Ford completar o mandato até 1976. Na Câmara, foi apresentado projeto visando conceder imunidades ao ex-presidente, a fim de evitar que ele sofra vexames.


Abaixo, trecho do discurso de renúncia de Nixon. Em inglês, o presidente diz que não é um trapaceiro: "I'm not a crook".




Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

01/12/2016
ACERVO DC | A siderurgia sob racionamento
30 anos depois, palavra "crise" reaparece para o setor
27/08/2016
HÁ 24 ANOS | O processo de impeachment de Fernando Collor de Mello
Se desde quinta-feira, (25), o país acompanha a movimentação dentro do Senado para a aprovação ou não do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff,...
07/07/2016
HÁ 41 ANOS | Prefeitura inaugura a primeira usina de lixo em Belo Horizonte
Cerca de quatro décadas atrás, Belo Horizonte ainda não abrigava uma usina capaz transformar os resíduos orgânicos produzidos na cidade em adubo. Era comum,...
17/06/2016
HÁ 20 ANOS | Vale deve faturar R$ 9 mi por ano com nova mina de ouro
Sexta-feira, 17 de junho de 1996
16/06/2016
HÁ 10 ANOS | "Borrachudos" tem alta de 23,4%
Sexta-feira, 16 de junho de 2006
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.