Publicidade
24/11/2017
Login
Entrar

DC Inovação

05/05/2017

Alluagro será incubada em Portugal

Startup, focada em economia compartilhada, minimiza a ociosidade de máquinas e implementos agrícolas
Thaíne Belissa
Email
A-   A+
O aluguel de tratores e colheitadeiras ainda é uma atividade desorganizada e amadora/Divulgação
Enxergando na economia de compartilhamento uma oportunidade para explorar o agronegócio, três empreendedores de Uberlândia, Triângulo Mineiro, desenvolveram uma plataforma que tem ganhado destaque dentro e fora do País. Lançada há cerca de oito meses, a Alluagro é um marketplace que conecta quem precisa alugar máquinas agrícolas.

A startup já despertou o interesse de vários programas de aceleração, sendo o mais recente o CropUp. O programa, que é desenvolvido por um núcleo de inovação ligado à Universidade de Portugal (ULisboa), será uma fase importante da trajetória da startup mineira, levando-a à internacionalização.

O fundador da startup Marco Aurélio Chaves explica que a Alluagro surgiu a partir da percepção de uma “dor real do setor”, que chegou até ele por meio do relato do seu tio. “Em uma conversa informal ele me falou da dificuldade de encontrar maquinário agrícola, principalmente quando, por exemplo, uma colheitadeira quebra no meio colheita”, relata. Decidido a resolver o problema, o empreendedor se juntou aos sócios Celso Vilela e Márcia Malaquias, e começou o projeto da Alluagro, que propõe inovação no mercado de aluguel de máquinas agrícolas.

“O aluguel de tratores e colheitadeiras já acontece há algum tempo, mas é uma atividade desorganizada e amadora. É muito comum, inclusive, relatos de calotes dos atravessadores. Nós surgimos com a proposta de profissionalizar esse serviço, oferecendo a conexão entre quem tem uma máquina ociosa e quem precisa dessa máquina. E fazemos isso por meio de contratos de aluguel e garantia de seguro”, destaca.

De acordo com ele, o marketplace pode ser acessado por meio de um aplicativo instalado nos dispositivos móveis dos agricultores. Se precisarem de uma máquina, basta entrar no aplicativo, se cadastrar e fazer uma busca pelo tipo de equipamento. A ferramenta vai encontrar o fornecedor geograficamente mais próximo daquele agricultor e permitir sua conexão com ele. “A geolocalização é mais uma vantagem da nossa ferramenta. Ela não só facilita o aluguel, como diminui o custo de logística que os usuários terão, pois não precisarão deslocar a máquina para grandes distâncias”, diz.

Chaves explica que a plataforma já está no ar e tem 25 produtores de diferentes regiões do Brasil cadastrados, assim como 16 máquinas disponíveis para o aluguel. Segundo ele, a startup está focada agora em cadastrar novos usuários e novas máquinas a fim de oferecer uma solução mais robusta para o segmento. A meta dos sócios é chegar até o fim do ano com mais de mil agricultores e 5 mil máquinas cadastradas.

Outra meta da Alluagro é a internacionalização. O fundador destaca que a solução da startup é global e, por isso, ele e os sócios procuraram por programas de aceleração no exterior que os ajudassem a caminhar nesse processo. A oportunidade acabou aparecendo com o CropUp, programa desenvolvido por um núcleo de inovação ligado à Universidade de Portugal (Ulisboa), que apoia projetos inovadores ligados ao setor de agroalimentos. Iniciada no último mês, a aceleração tem duração de um ano e colocará a empresa em contato com importantes players do segmento.

“Durante o tempo de aceleração vamos tentar validar nosso modelo de negócio no mercado europeu e a expectativa é abrir uma filial no continente até o fim deste ano ou, no máximo, até início do ano que vem”, afirma. O empreendedor está otimista com o novo mercado, pois acredita que o europeu já tem a cultura da economia compartilhada. “Eles já alugam tudo por lá. Por que não fazer o mesmo com máquinas agrícolas?”, arrisca.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

24/11/2017
Itajubá é primeiro lugar em ranking
Município está entre as 20 cidades com maior efetividade em geração de startups
24/11/2017
CTVacinas tem arma contra leishmaniose visceral
Belo Horizonte vive momento de alerta em relação à leishmaniose tipo visceral: o número de casos cresceu em 2017 e já são 31 registros de pessoas...
17/11/2017
84 startups participam do DemodayTrends no dia 7
Os produtos e serviços desenvolvidos em 2017 por startups participantes de programas de aceleração e pré-aceleração apoiados pelo Serviço de Apoio...
17/11/2017
Sorte Sim deve contabilizar 150 mil apostas até o fim deste ano
Parece lotérica, mas não é. Lançada em agosto deste ano, a plataforma Sorte Sim deve contabilizar nada menos que 150 mil apostas até o fim do ano. A...
17/11/2017
12 projetos foram selecionados pelo Anima Nest/Go Minas
Cada iniciativa receberá aporte de R$ 7,5 mil
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.