Publicidade
20/01/2018
Login
Entrar

DC Mais

15/11/2017

Amazônia terá US$ 153 milhões da Alemanha e do Reino Unido

Reuters
Email
A-   A+
Brasília - Alemanha e Reino Unido fornecerão juntos US$ 153 milhões para ampliar programas de combate à mudança climática e ao desmatamento na Floresta Amazônica, de acordo com um comunicado divulgado ontem pelo governo brasileiro.

Aproximadamente US$ 88 milhões vão para um programa que faz pagamentos a povos indígenas e a agricultores em troca da manutenção da cobertura vegetal e também fornece financiamento para projetos de desenvolvimento econômico sustentável.

Pela primeira vez o programa crescerá para incluir o Mato Grosso, o maior produtor brasileiro de soja, onde a expansão rápida das fazendas e de criações de gado de corte tem ampliado o desmatamento. O dinheiro pagará ainda pela manutenção do programa já existente no Acre.
A Amazônia é a maior floresta tropical do mundo e sua preservação é vista como essencial para a absorção das emissões de carbono e a luta contra a mudança climática.

O desmatamento da Amazônia brasileira recuou 16% entre agosto de 2016 e julho de 2017 quando comparado com o período anual anterior graças a uma vigilância ambiental maior, embora a área devastada continue muito acima dos níveis necessários para o Brasil cumprir suas metas climáticas, de acordo com dados do governo.

Vigilância - O Brasil não pode depender da vigilância para deter o desmatamento, e precisa lançar iniciativas financeiras para preservar a floresta e obter mais ganhos, disse o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, no fim do mês passado.

Sarney Filho contou que abordará a questão de como financiar esse esforço na cúpula de combate à mudança climática da Organização das Nações Unidas (ONU) em andamento nesta semana em Bonn, na Alemanha, onde os acordos foram anunciados.

Conforme esses acordos, a Alemanha também aumentará em US$ 39,9 milhões seus investimentos existentes no Fundo Amazônia, que tem na Noruega seu outro grande apoiador.

Os cerca de US$ 25 milhões restantes do Reino Unido serão destinados a um projeto regional de preservação florestal no Brasil, na Colômbia e no Peru, que também têm partes da Amazônia.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/01/2018
José Maria Alkmim, um mineiro na vice-presidência da República
Formado em Jornalismo pela PUC Minas, em 1995, tive como colegas de turma profissionais que hoje honram a sua geração, como Adriana Costa Muls, Alessandra Melo, Fred Melo Paiva,...
20/01/2018
Curtas CD Mais 20/01
Cidade do Circo O governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), anuncia R$ 200 mil para implantação do projeto “Cidade do Circo“,...
20/01/2018
Agenda Cultural 20/01
Orquestra Atípica de Lhamas Single - O ano chegou a plenos vapores para a Orquestra Atípica de Lhamas. Depois de dividir o palco com a cantora Maria Alcina, lotando o Grande...
19/01/2018
Presidente da EMC é vítima fatal da febre amarela em MG
O presidente da Empresa Mineira de Comunicação (EMC), Flávio Henrique Alves de Oliveira, de 49 anos, morreu às 7h30 de ontem, em Belo Horizonte. Músico, produtor...
19/01/2018
Curtas DC Mais 19/01
Prevenção no Inhotim A partir de terça-feira (23), visitantes devem apresentar o cartão de vacinação ao entrar no Instituto Inhotim (Rua B, 20,...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.