19/07/2018
Login
Entrar




DC Mais

12/04/2018

Até 5% dos trabalhadores têm rendimento mensal de R$ 47

AE
Email
A-   A+
Rio de Janeiro - No ano de 2017, o Brasil ainda tinha até 5% da população trabalhadora com rendimento médio mensal de apenas R$ 47. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado representa ainda uma queda drástica em relação aos R$ 76 recebidos no ano anterior, o equivalente a uma redução de 38%.

Ao mesmo tempo, houve queda no percentual de domicílios beneficiados pelo Programa Bolsa Família, que passou de uma fatia de 14,3% em 2016 para 13,7% em 2017. Apesar da queda, as regiões Norte (25,8%) e Nordeste (28,4%) permaneceram com maiores porcentuais de beneficiários.

Os domicílios que recebiam o Bolsa Família tinham renda média mensal real per capita de apenas R$ 324 no ano passado. Nos lares que não tinham necessidade do benefício de transferência de renda do governo, o rendimento médio por habitante subia a R$ 1.489.
Em 2017, 60,2% da população brasileira, ou 124,6 milhões de pessoas, tinham algum tipo de rendimento, sendo 41,9% (86,8 milhões de indivíduos) provenientes de todos os trabalhos e 24,1% (50 milhões) originários de outras fontes.

Entre os rendimentos de outras fontes, o mais frequente era a aposentadoria ou pensão, recebido por 14,1% da população com alguma renda, seguido por pensão alimentícia, doação ou mesada de não morador (2,4%); aluguel e arrendamento (1,9%); e outros rendimentos (7,5%), categoria que inclui seguro-desemprego, programas de transferência de renda (como o Bolsa Família) e poupança, entre outros.

O rendimento médio de todas as fontes foi de R$ 2.112 em 2017. O rendimento médio real efetivo de todos os trabalhos alcançou R$ 2.237, enquanto a renda média mensal real apenas de outras fontes foi de R$ 1.382. A renda média obtida por aposentadoria ou pensão foi de R$ 1.750.

Muito nas mãos de poucos - A riqueza segue concentrada nas mãos de poucos no País. As pessoas que faziam parte do topo da pirâmide, aquele 1% da população brasileira com rendimentos mais elevados, recebiam 36,1 vezes mais do que a metade mais pobre da população, que compõe a base da pirâmide.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, divulgada pelo IBGE.

O rendimento médio mensal real da metade mais pobre da população brasileira ficou em R$ 754 em 2017, contra uma média de R$ 27.213 recebidos pelos mais ricos.

A região Nordeste exibiu a maior concentração de riqueza no ano passado, com 1% dos mais ricos recebendo 44,9% mais do que a metade mais pobre. A menor diferença foi registrada no Sul do País, onde a parcela de 1% com renda mais alta ganhava 25% mais que a metade de renda mais baixa.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

19/07/2018
Festival Mundial de Circo recebe inscrições de projetos
O Festival Mundial de Circo chega novamente a Belo Horizonte, em 9 de agosto, com atrações de rua e palco, laboratório de criação e uma mostra de cinema. Um dos...
19/07/2018
CURTAS | DC Mais 18/05
Feira na Índia A Feira Source Índia 2018 , que será realizada amanhã (20), das 9h às 12h, na sede da ACMinas (Avenida Afonso Pena, 372, Centro), em Belo...
19/07/2018
AGENDA CULTURAL 18/07
Dance Club Banda - A segunda apresentação que marca o retorno da Dance Club (Foto) aos palcos traz algumas mudanças na banda. Agora, Bauxita (vocal) será...
18/07/2018
Meninos e técnico resgatados de caverna deixam hospital hoje
Bangcoc, Tailândia - Os 12 meninos tailandeses e seu técnico de futebol que foram resgatados de um complexo inundado de cavernas na semana passada serão liberados do hospital...
18/07/2018
Escola de Artes
A Fundação Municipal de Cultura (FMC) abre inscrições para as oficinas e cursos gratuitos da Escola Livre de Artes – Projeto Arena da Cultura. Neste semestre,...
› últimas notícias
Indústria pode recorrer à Justiça por repasse de verbas
Antecipação do abono anima CDL-BH
Em Minas, setor automotivo espera impulso com o Rota 2030
PBH cumpre 1ª etapa de auditoria
Demanda por cães de guarda cresce em BH
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


19 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.