Publicidade
22/10/2017
Login
Entrar

Economia

12/08/2017

Rede supermercadista Bahamas investirá R$ 75 milhões em Minas Gerais

Objetivo é abrir cinco unidades em 2018, sendo três no Triângulo e duas em Juiz de Fora
Gabriela Pedroso
Email
A-   A+
Em média, o custo do grupo Bahamas para estruturar cada uma das unidades gira em torno de R$ 15 milhões/Divulgação
Ainda restam pouco mais de quatro meses para o fim do ano, mas o foco da rede mineira de supermercados Bahamas já está em 2018. Com o objetivo de manter o crescimento anual em dois dígitos, o grupo aposta na estratégia de expansão pelo Estado e anunciou para o próximo ano a abertura de mais cinco unidades em Minas Gerais. O investimento inicial é estimado em R$ 75 milhões, porém, de acordo com o presidente da empresa, Jovino Campos Reis, esse número pode ultrapassar a casa dos R$ 100 milhões.

“A empresa tem sempre vontade de crescer mais. Tudo é questão de oportunidade. Surgindo oportunidade, vamos investir mais”, afirma Reis. O plano do supermercado Bahamas, que hoje conta com 39 lojas, é fechar 2018 com, no mínimo, 50 unidades espalhadas pelo Estado. E o grupo não deve ter dificuldades para cumprir a meta. Só para 2017, está prevista a inauguração de seis supermercados, o que levará a rede a um total de 45 até dezembro.

Das cinco lojas anunciadas para o ano que vem, três serão abertas no Triângulo Mineiro. As cidades que serão contempladas na região com os empreendimentos da bandeira Bahamas Mix (atacado e varejo) são Uberlândia, Uberaba e uma terceira, que não foi revelada pelo grupo. As duas unidades restantes serão construídas em Juiz de Fora, sendo uma no perfil “grande loja”, com área de vendas superior a três mil metros quadrados (m²), e outra no modelo de “loja de vizinhança”, instalada em um espaço menor, de 1.800 m².

Em média, o custo da empresa para estruturar cada uma das unidades gira em torno de R$ 15 milhões. O presidente do Bahamas, porém, já antecipou que não pretende se contentar apenas com as cinco lojas em 2018. Confiante no potencial de crescimento do grupo, Jovino Reis espera, até dezembro, anunciar um aumento da projeção de expansão para o próximo ano, o que significaria mais empreendimentos da rede pelo Estado.

“Já estão garantidas cinco lojas, mas nosso objetivo é muito maior. Isso, no entanto, depende de estudos, compras de terrenos e execução de projetos. Ou seja, é preciso que seja realizada uma série de ações antes, o que me impede de precisar o número exato (de lojas) para o ano que vem”, diz Reis.

No dia 15 de agosto, o Bahamas começa as inaugurações dos estabelecimentos previstos para 2017 pela unidade de São João del-Rei. Posteriormente, serão abertos os supermercados de Viçosa, Uberaba, Uberlândia e Juiz de Fora (2).

“O mercado está estável, e para aumentar as vendas temos de inaugurar novas lojas. Queremos fazer investimentos para continuarmos no ritmo de crescimento que a gente tem como meta. Em 2016, crescemos 17% em faturamento. Nosso objetivo é crescer dois dígitos por ano”, conclui o presidente da rede.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/10/2017
Indústria mineira projeta crescimento
Indicadores de renda e de inflação já favorecem o setor, que prevê aumento de 2% na produção neste ano
21/10/2017
PIB brasileiro volta a crescer em agosto, estima a FGV
Alta atingiu 0,2% no período
21/10/2017
Consumo de bens industriais no Brasil tem aumento de 2,5% em agosto
Rio - O consumo de bens industriais no País cresceu 2,5% em agosto ante julho, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Indicador Ipea de Consumo Aparente da...
21/10/2017
Privatização pode onerar a indústria nacional
O alerta é do professor da UFRJ, Eduardo Costa Pinto, que propõe a abertura de capital das subsidiárias
21/10/2017
Cemig dispensa diretor, com previsão de novas substituições
Luiz Fernando Paroli estaria cotado para a presidência
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.