Publicidade
26 de May de 2017
Login
Entrar

Finanças

19/05/2017

Banco corta recomendação para as ações brasileiras

Com o conteúdo explosivo da delação do empresário Joesley Batista, B3 recorreu ao circuit breaker
Reuters
Email
A-   A+
Milão - O JP Morgan cortou ontem a recomendação para as ações brasileiras para neutra, dizendo que as reformas no País podem estar em risco após as denúncias envolvendo o presidente Michel Temer em um escândalo de corrupção.

Na véspera, O Globo noticiou que Joesley Batista, um dos controladores do frigorífico JBS, gravou Temer concordando com pagamentos para manter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso.

“Ainda que a tendência positiva para crescente atividade econômica e taxas de juros mais baixas deva persistir, nós rebaixamos taticamente as ações brasileiras de overweight para neutra em meio à percepção de risco maior de execução para aprovação das reformas”, escreveram estrategistas do JP Morgan liderados por Pedro Martins Junior em nota.

O JP Morgan informou que as incertezas decorrentes do escândalo devem levar os investidores a reduzir a exposição a ações sensíveis às taxas de juro e ao crescimento, bem como elevar o peso de ações fora do setor financeiro, de matérias-primas e papéis defensivos atrelados ao dólar.

No exterior, as ações de empresas europeias com exposição ao Brasil, incluindo o grupo varejista francês Casino e as operadoras Telefónica e Telecom Italia, caíam acentuadamente, reagindo às denúncias.

Nos Estados Unidos, o principal índice ETF tinha baixa de mais de 16% no pré-mercado norte-americano.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

26/05/2017
Governo central registra superávit
Resultado de abril ficou positivo em R$ 12,570 bilhões, informa o Tesouro Nacional
26/05/2017
Estoque de operações recua e soma R$ 3,071 tri
Brasília - O estoque total de operações de crédito do sistema financeiro caiu 0,2% em abril ante março, para R$ 3,071 trilhões, informou ontem o Banco...
26/05/2017
Bolsa de valores fecha em retração puxada pela cotação do petróleo
São Paulo - A queda dos preços do petróleo roubou a cena no período da tarde e interrompeu aquele que seria o terceiro dia consecutivo de alta no mercado brasileiro de...
25/05/2017
Dívida pública federal sobe 0,32% em abril e atinge US$ 3,2 trilhões
Correção de juros impulsionou o resultado no período
25/05/2017
Ibovespa mantém trajetória ascendente
São Paulo - O mercado brasileiro de ações manteve o ímpeto comprador e levou o Índice Bovespa à sua segunda valorização consecutiva, ao...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.