19/06/2018
Login
Entrar




Negócios

14/06/2018

BBSucos estima crescimento de 10% no faturamento

Daniela Maciel
Email
A-   A+
Empresa tem capacidade instalada de 15 mil litros de concentrados por mês/Alisson J. Silva
Oferecer um produto inovador, capaz de atender o rigoroso mercado mineiro, era a obsessão da BBSucos, criada em 1997, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A indústria de sucos concentrados hoje é capaz de produzir 15 mil litros por mês, o que dá cerca de 500 mil copos (de 300 ml) prontos para o consumo, servidos mensalmente em cerca de 500 pontos de venda apenas na RMBH. A meta para o fim do ano é aumentar em 10% a produção e o faturamento na comparação com o ano passado, com foco ainda em Minas Gerais.

Segundo o sócio e gerente da fábrica, André Braga, tudo começou com uma franquia de sucos concentrados, mas a necessidade e o desejo de oferecer um produto com mais qualidade levou a empresa a buscar uma parceria com a Fundação Arthur Bernardes (Funarbe), que é a Fundação de Apoio à Universidade Federal de Viçosa (UFV), para a elaboração de um novo produto.

“Quando o produto nos foi entregue partimos para os testes de mercado e identificamos como nicho o mercado de fast food e hotéis em 2004. Tínhamos criado um produto inovador, que utilizava o extrato natural da fruta, adoçado com açúcar, com ótimo rendimento e que não exigia refrigeração mesmo depois de aberto. Desenvolvemos esse projeto e lançamos a marca My Fruit. Ao todo foram cinco anos de desenvolvimento, entre 2004 e 2009”, relembra Braga.

A utilização do açúcar cristal inibe a necessidade do uso de conservantes e faz com que o produto possa ser guardado fora da geladeira mesmo depois de aberto. O objetivo é facilitar o armazenamento, já que o espaço para estoque é extremamente reduzido em boa parte dos estabelecimentos populares.

Atualmente o suco é apresentado em embalagens de cinco litros e um litro. A diluição é feita na base de um para dez, ou seja, cada litro do produto concentrado rende dez litros do suco pronto para o consumo. A embalagem menor foi uma sugestão dos atendentes das lanchonetes. Depois, a embalagem graduada foi sugestão de uma dona de casa que tinha dificuldade com a dosagem do concentrado.

“As empresas que existiam naquela época trabalhavam com embalagens muito grandes, de dez e 20 litros. Pensamos que se maioria dos trabalhadores desses estabelecimentos é formada por mulheres, deveríamos ter um tamanho e peso mais apropriados – uma embalagem de dez litros pesa mais de 12 quilos – então fomos pioneiros em tamanhos menores. Depois, essas mesmas atendentes começaram a nos requisitar uma embalagem que pudessem levar para casa e assim surgiu a garrafa de um litro e um novo nicho: os supermercados que distribuem o produto concentrado para o consumidor final”, explica o cofundador da BBSucos.

Atualmente os 12 sabores (abacaxi, caju, goiaba, guaraná, laranja, limão, manga, maracujá, morango, pêssego, tangerina e uva) no tamanho um litro são encontrados na rede de atacarejo Villefort. O processo de produção, realizado por 12 colaboradores, é garantido por fornecedores nacionais de polpa concentrada que são destinadas a diversos fins industriais que vão da indústria farmacêutica à produção de sucos.

Atuação - Além do mercado mineiro, a empresa está representada no Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo. Do outro lado, os planos de internacionalização já estão em andamento. A BBSucos participa do Programa de Qualificação para Exportação (Peiex), que qualifica empresas para seminários, rodadas com tradings e missões internacionais, promovido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil).

“O processo de internacionalização é lento porque como trabalhamos com alimentos, existe uma legislação específica em cada país que exige uma série de certificações e adaptações. Em dois anos esperamos fazer nossas primeiras vendas internacionais”, afirma o gerente da fábrica da BBSucos.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

19/06/2018
Araujo investe em aplicativo para impulsionar vendas
Meta da rede é atingir receita de R$ 2,2 bi neste ano
19/06/2018
iMedicina recebe aporte da Cedro Capital
Criadora de uma solução inovadora para gestão e divulgação de consultórios médicos, a startup mineira iMedicina pretende triplicar seu faturamento...
19/06/2018
Meios de hospedagem legais aumentam 54% após fiscalização do Mtur
O número de meios de hospedagem cadastrados no Cadastur, do Ministério do Turismo, cresceu 54% desde o início da “Operação Verão Legal”...
19/06/2018
Profissionais devem se preparar para a retomada do mercado
Planejamento é a palavra de ordem no atual mercado de trabalho, seja para quem vai contratar ou para os profissionais que desejam se movimentar ou se recolocar. “O ritmo de...
19/06/2018
Empresários planejam políticas de redução de custos
Em um ambiente global de negócios em constante mudança, empresas com metas agressivas de redução de custos tendem a obter vantagens competitivas. A pesquisa global de...
› últimas notícias
Preço do diesel recua R$ 0,41 em Minas
Mais de 40% das empresas usam planilhas ao contratar
Inadimplência recua na Capital
TCU vai apurar se cobrança por despacho de bagagem reduziu preços das passagens
Governo espera movimentar a economia com liberação de saques
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


19 de junho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.