Publicidade
11/12/2017
Login
Entrar

Economia

18/11/2017

BH adere ao trabalho intermitente

Setor empresarial vê maior segurança jurídica, mas trabalhadores temem precarização
Ana Amélia Hamdan
Email
A-   A+
Entre os setores que mais devem aderir estão os de supermercados, bares e restaurantes, para cobrir pessoal no fim de semana/Leo Ferreira/Divulgação
O trabalho intermitente, nova modalidade de contrato criada pela reforma trabalhista, já começa a ganhar adesões por parte dos empresários. Exemplo disso é a Churrascaria Porcão, na Capital, que deve abrir cerca de 12 vagas na modalidade intermitente, segundo informou a gerente de recursos humanos da empresa, Luciana Rodrigues. A rede de supermercados Rena, com lojas no Centro-Oeste de Minas e Grande BH, abrirá 20 vagas de trabalho intermitente neste fim de ano. Também de olho na novidade, a Marmitaria Família Daniel, no centro de BH, está com vagas abertas para os interessados em trabalhar só aos fins de semana.

Gerente de RH da Churrascaria Porcão, Luciana Rodrigues informou que o comércio pretende contratar de 10 a 12 pessoas pela modalidade de trabalho intermitente. O objetivo é que esses novos funcionários trabalhem aos domingos. Ela explica que nesse dia há um movimento intenso no restaurante, mas é necessário dar folga para os funcionários. Atualmente, a churrascaria implanta um sistema de rodízio com a equipe. Com a modalidade trabalho intermitente, segundo ela, será possível ter o quadro completo também no domingo. Ela ressalta que a nova modalidade gera economia, já que o empregado irá receber somente pela hora trabalhada.

Diretor-presidente do Supermercado Rena, Alexandre Maromba informou que a rede não iria abrir vagas temporárias neste fim de ano, mas, com a reforma trabalhista, a decisão foi revista. O grupo, que tem 11 lojas nas cidades de Itaúna, Divinópolis e Oliveira (no Centro-Oeste do Estado), Mateus Leme e Juatuba, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, irá abrir 20 vagas na modalidade trabalho intermitente. 

Alexandre Maromba ainda não definiu os dias e horários de trabalho dos novos funcionários, pois acredita que eles possam cobrir as folgas dos que já estão contratados. Ele também ressalta que a maior vantagem é a economia para a empresa, com o funcionário recebendo pelas horas e dias trabalhados. A principal contrapartida, de acordo com ele, é a geração de emprego.

À frente da Marmitaria Família Daniel, com duas unidades no centro da Capital, Matheus Daniel informou que está abrindo quatro vagas para trabalho intermitente. O objetivo dele é que os novos funcionários trabalhem nos finais de semana. Ele optou pelo contrato intermitente que, segundo ele, permite reforçar a equipe sem onerar demais a empresa. Matheus Daniel informou que, para a definição do valor pago pela hora trabalhada, usou como base o piso da categoria de trabalhadores em bares e restaurante da Capital.

Leia também:
Modalidade deve ganhar força

Segurança
- Presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais (Abrasel-MG), Ricardo Rodrigues considera que a modalidade de trabalho intermitente traz segurança jurídica aos empresários e resguarda direitos de trabalhadores. Segundo ele, a norma legaliza algumas formas de trabalho que vinham ocorrendo informalmente.

Advogado do Sindicato dos Empregados no Comércio de Belo Horizonte e Região Metropolitana (SECBHRM), Amarildo Souza de Almeida informou que a entidade acredita que o contrato intermitente leva à precarização do trabalho. “O trabalhador não terá segurança remuneratória ao atuar só nas excepcionalidades”, disse. “É uma lei com muitas novidades. Precisamos de mais tempo para construir entendimentos sobre os mais polêmicos”, ressalta.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

08/12/2017
Governo quer mais celeridade nos processos
Plano de Eficiência Ambiental permitirá aprovações concomitantes das diferentes etapas de um empreendimento
08/12/2017
Vulcabras investirá R$ 100 mi em suas três fábricas em 2018 para ganhar em produtividade
São Paulo - A fabricante de calçados Vulcabras retomou investimento em seu parque fabril e está se preparando para reativar sua marca voltada ao público feminino...
08/12/2017
Indústria fecha 2017 com bons resultados e prevê geração de 20 mil postos de trabalho em 2018
São Paulo - A indústria têxtil deve encerrar 2017 com crescimento de 3,5% na produção de vestuário, alcançando 5,9 bilhões de peças....
08/12/2017
Trabalhadores da Jucemg mantêm a greve
Sem consenso com o governo estadual, imbróglio deverá ser resolvido na Justiça
08/12/2017
BNDES planeja se desfazer de 10% das participações em grandes grupos privados
Rio de Janeiro - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deve se desfazer de, pelo menos, 10% das participações que possui em grandes grupos privados. O...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.