Publicidade

DC Inovação

17/03/2017

BH na rota de aceleradora para microcervejarias

Bier Hub vai visitar 12 cidades, selecionar uma empresa em cada localidade e investir cerca de R$ 400 mil por projeto
Thaíne Belissa
Email
A-   A+
Segundo Valverde, produção da cerveja de todas as marcas aceleradas será terceirizada/Cauê Diniz/Divulgação
Belo Horizonte está na rota da Bier Hub, aceleradora de microcervejarias artesanais, que, em 2017, vai percorrer as principais cidades brasileiras em busca das melhores receitas de cerveja. Com sede em São Paulo e um método inovador de investimento, a aceleradora ajuda empreendedores iniciantes a transformarem o hobby de fazer cerveja em casa em um negócio real e com escala para venda em nível nacional. Durante todo o ano, a Bier Hub vai visitar 12 cidades no País, selecionar uma microcervejaria em cada localidade e investir cerca de R$ 400 mil por projeto. Belo Horizonte receberá o evento de seleção em setembro deste ano.

O co-fundador da aceleradora, Diego Nunes Valverde, explica que a aceleradora surgiu a partir da percepção de uma carência do segmento em profissionalização. Ele atua com startups há seis anos e percebeu que, assim como os empreendedores de empresas inovadoras, os microcervejeiros têm em mãos um produto de valor agregado, mas, muitas vezes, se esbarram na estruturação do negócio. “Muitos deles começaram a produzir cerveja em casa por hobby e, por causa da qualidade do que criaram, acabam transformando em negócio. Mas, na hora em que precisam montar um material de comercial, pensar em um pitch para apresentação ou controlar o fluxo de caixa, eles ficam perdidos”, explica.

Outro problema comum desse empreendedor é a falta de capital semente para escalar a produção. De acordo com Valverde, como muitos não conseguem capitalizar a empresa, acabam estacionando como microcervejarias com produções esporádicas. E foi com foco nessas deficiências, que o co-fundador criou a Bier Hub. O empreendimento recebeu um investimento-anjo de R$ 50 mil e, recentemente, captou outro aporte cujo valor não foi revelado. De acordo com Valverde, a aceleradora investe cerca de R$ 400 mil por cervejaria, aporte que é direcionado exclusivamente para a produção de cerveja em larga escala. Além disso, a Bier Hub auxilia os empreendedores com estratégia comercial e na construção de competências de gestão.

De acordo com o co-fundador, a produção da cerveja de todas as marcas aceleradas é feita em parceria com grandes fábricas em espaço terceirizado. Segundo ele, depois de quatro ou cinco produções, a Bier Hub passa a ser sócia da microcervejaria, ficando com 30% de participação do negócio. “Queremos ser a maior cervejaria do mundo sem ter nenhuma cervejaria”, destaca. Segundo Valverde, as marcas que chegam à aceleradora ganham produção em nível nacional. É o caso de uma das primeiras microcervejarias acelerada pela Bier Hub. Ela produzia cerca de 100 litros de cerveja esporadicamente. Desde a aceleração, iniciada em junho do ano passado, a empresa já produziu cerca de 16 mil litros. “A cerveja deles já chegou a Berlim”, diz.

Em oito meses de operação, a Bier Hub já apoia oito microcervejarias do País. Mas a expectativa é quadruplicar esse número em 2017. A aceleradora vai percorrer 12 cidades em todo o País e realizar uma seleção com microcervejarias. Empreendedores do segmento serão convidados a inscreverem suas receitas, sendo que as cinco melhores participarão de um grande evento com a presença do público em geral. A melhor cerveja será escolhida por uma composição de votos do público, de uma bancada de jurados técnicos e por júris da aceleradora. A microcervejaroa vencedora será a selecionada para a aceleração.

Valverde afirma que Belo Horizonte já está no radar da aceleradora: o evento acontecerá na cidade em setembro deste ano. Ele afirma que o mercado mineiro tem grande potencial nesse segmento, inclusive com boas marcas no mercado. A percepção do executivo é comprovada na prática. De acordo com o último levantamento do Sindicato das Indústrias de Cerveja e Bebidas em Geral do Estado de Minas Gerais (SindBebidas), o mercado da cerveja artesanal no Estado registra crescimento médio de faturamento de 21% ao ano. Segundo o sindicato, Minas Gerais é o segundo maior estado do País em volume de produção e número de microcervejarias. Ao todo, são 30 empresas registradas no Ministério da Agricultura em Minas Gerais.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

23/03/2017
Kriativar entre as dez mais do mercado
A startup mineira Kriativar Educação e Tecnologia subiu ao ranking da Open Innovation Week, figurando entre as 10 startups mais atraentes do mercado, dentro do ranking 100 Open...
23/03/2017
Algoritmo ajuda combater Aedes aegypti
Startup reduz a milésimos de segundo o trabalho de horas de monitoramento de ovos por meio de ovitrampas
23/03/2017
Sebrae e CDL apoiam empresas que criam soluções para o varejo
Em um cenário de baixo crescimento econômico, que afeta em cheio o setor varejista, a adoção de ferramentas inovadoras de gestão é decisiva para a...
17/03/2017
Inscrições para o BMG Digital Lab são prorrogadas
O Banco BMG lançou, no mês passado, a primeira fase do programa BMG Digital Lab, voltado à contratação de soluções digitais para...
17/03/2017
Lei do investidor anjo alinha o Brasil às tendências mundiais
Votada no segundo semestre do ano passado e em vigor desde janeiro, a Lei Complementar 155/2016 tem como objetivo regulamentar e facilitar a relação entre os chamados investidores...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.