Publicidade
20/09/2017
Login
Entrar

Finanças

11/01/2017

Bolsa sobe com ações da Vale e Petrobras

Ibovespa encerrou o pregão em alta de 0,70%, com giro financeiro de R$ 6,1 bilhões; dólar ficou estável
Email
A-   A+
Os papéis PNA da Vale subiram 6,29%, refletindo avanço de 2% do minério de ferro na China/Divulgação
São Paulo - As ações da Vale foram o destaque da Bolsa ontem. Os papéis PNA da mineradora foram os mais negociados na sessão e tiveram alta de 6,29%, a R$ 26,17, enquanto os ON ganharam 7,69%, a R$ 28,54.

O motivo para a forte alta foi o avanço de mais de 2% do minério de ferro na China, principal mercado da Vale. Também animou os investidores o índice de preços ao produtor da China, que, impulsionado pela maior demanda por matérias-primas, saltou 5,5% em dezembro na comparação com o ano anterior. Foi a maior alta desde setembro de 2011.
O dado chinês superou as expectativas de analistas consultados pela agência Bloomberg, que esperavam aumento de 4,6% do índice.

Com a forte valorização dos papéis da Vale, o Ibovespa encerrou o pregão em alta de 0,70%, aos 62.131,80 pontos. O giro financeiro foi de R$ 6,1 bilhões.

As ações da Petrobras subiram 0,97% (PN) e 1,67% (ON), apesar da queda do petróleo no mercado internacional. Analistas consideraram positiva a captação externa de US$ 4 bilhões realizada na véspera pela estatal, com o alongamento de sua dívida.

No setor financeiro, Itaú Unibanco PN caiu 0,33%; Bradesco PN e ON ficaram estáveis; Banco do Brasil ON subiu 1,36%; Santander unit caiu 0,16% e BM&FBovespa ON, +1,87%.

As maiores quedas do Ibovespa foram lideradas por Cielo ON, com -3,34%.

Câmbio e dólar - O dólar terminou a sessão praticamente estável ante o real. A moeda americana à vista caiu 0,01%, a R$ 3,1979, enquanto o dólar comercial subiu 0,03%, a R$ 3,1990.

Para Cleber Alessie, operador de câmbio da corretora H.Commcor, os investidores preferiram a cautela, aguardando os eventos de hoje. “Teremos o IPCA de dezembro, que pode recalibrar as apostas para o corte da taxa básica dos juros, a decisão do Copom à noite e, no cenário externo, a fala de Trump”, afirma.

O presidente eleito dos EUA, Donald Trump dará uma entrevista coletiva, e os investidores aguardam indicações de como será o seu governo. As expectativas são de que o republicano eleve os gastos públicos, aquecendo a economia e acelerando a inflação, o que levaria a uma alta mais rápida dos juros americanos.

Juros - O mercado de juros futuros negociados na BM&FBovespa fechou em queda, refletindo as estimativas de um corte de pelo menos 0,50 ponto percentual taxa básica de juros. Atualmente, a taxa está em 13,75% ao ano.

O contrato de DI para janeiro de 2018 recuou de 11,365% para 11,330%; o DI para janeiro de 2021 caiu de 11,190% para 11,100%; e o DI para janeiro de 2026 cedeu de 11,510% para 11,400%.

Se o IPCA de dezembro vier abaixo do esperado, as apostas de redução de 0,75 ponto percentual da Selic devem ganhar mais força, e os juros futuros devem cair ainda mais. As projeções de analistas consultados pela Bloomberg são de que o índice oficial de inflação tenha ficado em 0,34% em dezembro e em 6,34% em 2016. (FP)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/09/2017
Dólar tem leve alta e Ibovespa cai 0,02% em dia de estabilidade
São Paulo - À espera pela decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), nesta quarta-feira, o dólar ficou ontem...
20/09/2017
Setor já superou R$ 1 trilhão em ativos
Rio - O setor de seguros já superou R$ 1 trilhão em ativos e está pronto para alavancar o próximo ciclo virtuoso no País, defendeu ontem o presidente da...
19/09/2017
Ofertas de ações podem gerar cerca de R$ 50 bilhões
Bancos elevaram as projeções
19/09/2017
Ibovespa renova a máxima ao subir 0,31%
São Paulo - O Índice Bovespa renovou seu recorde histórico ontem e atingiu pela primeira vez no intraday o patamar dos 76 mil pontos. Em um dia de noticiário...
16/09/2017
Ibovespa recupera fôlego e bate recorde
Bolsa de valores fechou a sessão de sexta-feira com valorização de 1,47% e atingiu os 75.756 pontos
› últimas notícias
Usiminas reajustará preços em 10,2%
Setor deve mudar o foco dos investimentos
Iace tem alta de 0,7% em agosto, aponta a FGV
MP para repactuação de concessões é publicada
BR Food cogita reduzir produção em fábricas de Uberlândia
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Minas se distancia da recessão
Fapemig aguarda até 16 de outubro os projetos de pesquisa para o Queijo Minas Artesanal
Reino Unido estreita, ainda mais, parceria com Fiemg Lab
Compre Certo planeja ampliar atuação no interior do País
Arranjos Produtivos Locais em Minas vão receber investimentos personalizados
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


20 de September de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.