15/08/2018
Login
Entrar

Minas 2032

11/11/2015

Brasil, historicamente, é um péssimo vendedor

Luciane Lisboa
Email
A-   A+
O presidente da Faemg disse ver com muita tristeza a condução da política externa no tocante ao agronegócio. "O Brasil historicamente é um péssimo vendedor", afirmou.

Isso acontece, continuou, porque praticamente não vendemos, somos comprados. "Só existe exportação porque precisam dos nossos produtos, senão já teríamos naufragado. Porque não temos capacidade de fazer políticas boas de marketing dos nossos produtos. A nossa Apex infelizmente ainda não decolou. Faz muita propaganda dela mesma, mas os nossos produtos ficam de lado", completou.

O ápice da questão, segundo o dirigente, foi o fato de termos ficado de fora do acordo Transpacífico. "Todas as outras nações da América do Sul em desenvolvimento e a América do Norte foram incluídas e o Brasil ficou de fora, cortejando Venezuela, Timor Leste e Haiti. Enfim, com uma agricultura deste tamanho nós precisamos de parceiros fortes", lamentou.

Leia também

Ramacrisna investe no bem-estar dos colaboradores
Hotel Mercure planta horta orgânica em BH
Ação da McDonald's visa reduzir o uso de canudos plásticos
Mulheres são minoria em cargos de alta gerência
Mesa Brasil cresce em Minas Gerais

Mercado interno - Já em relação ao mercado interno, Simões considera que é grande e está em evolução. "Porém, neste momento, apresenta alguma fraqueza no sentido de queda de renda da população e de inflação fora dos padrões ideais."

Além disso, ele avalia que é preciso pensar que no futuro não haverá áreas disponíveis para o agronegócio. "Portanto, não há como expandir horizontalmente, e é necessário realmente nos engajar na questão da sustentabilidade", ressaltou.

Com restrição de área, o "pulo do gato" para chegar em 2032 com crescimento é focar no aumento da produtividade. Aí o dirigente cita alguns gargalos a serem superados, como a irrigação, um dos segmentos em que ainda somos iniciantes. "Será necessário ter controle dessa tecnologia para garantir os volumes que se pretende em produção. Mas nos dias de hoje (diante da escassez de água), falar em aumento da irrigação é quase uma insanidade, porque o produto básico está em escassez", destacou.


Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

10/08/2018
Ramacrisna investe no bem-estar dos colaboradores
Instituto está entre os melhores lugares para trabalhar
03/08/2018
Hotel Mercure planta horta orgânica em BH
Iniciativa na unidade do bairro Lourdes faz parte de uma série de ações da rede AccorHotels
03/08/2018
Ação da McDonald's visa reduzir o uso de canudos plásticos
Em uma iniciativa em prol do meio ambiente, a Arcos Dorados , maior franquia independente do McDonald’s no mundo, anuncia que entregará canudos de plástico aos clientes...
03/08/2018
Mulheres são minoria em cargos de alta gerência
Embora a diversidade de gênero esteja no foco das discussões corporativos, mulheres em cargo de alta gerência não é realidade nos países da América...
27/07/2018
Mesa Brasil cresce em Minas Gerais
Projeto do Sesc completa 15 anos e abre o quarto banco de alimentos no Estado
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


15 de agosto de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.