19/08/2018
Login
Entrar

Agronegócio

08/08/2018

Campos Altos aposta no mercado interno

Com aportes de R$ 8,5 mi, grupo abre uma loja na Ceasa Minas e outra na Capital, com foco em cafés especiais
Michelle Valverde
Email
A-   A+
Intuito é oferecer café diferenciado para o brasileiro, diz Oliveira/Joselito Cândido/Divulgação
O aumento do consumo de cafés especiais no País e as oportunidades de atuar neste mercado, considerado promissor, foram os principais incentivos para que o Grupo Café Campos Altos investisse R$ 8,5 milhões no processamento do café e na abertura de duas unidades de comercialização voltadas para o mercado interno. Até a inauguração dos estabelecimentos, todo o café especial produzido nas quatro fazendas do grupo era exportado para diversos países. As expectativas são positivas, considerando principalmente a mudança de hábito do consumidor brasileiro, que está em busca de produtos diferenciados e de alta qualidade.

A produção de café do Grupo Campos Altos está concentrada na região do Cerrado Mineiro e é praticamente toda mecanizada. O clima e a altitude são fatores que contribuem para a produção de cafés com qualidade diferenciada. As quatro fazendas do grupo (Serrinha, Santa Luzia, Gabriela e Mirante) ficam em Campos Altos, no Alto Paranaíba. A unidade de torrefação e de embalagem do grão, voltado para o mercado interno, está instalada na Fazenda Serrinha.

De acordo com o fundador do Grupo Café Campos Altos, José Maria de Oliveira, a qualidade especial do café é o principal fator que deverá impulsionar as vendas no mercado interno.

“Neste ano, nossa safra vai variar entre 14 mil e 16 mil sacas de 60 quilos de café especial, o que corresponde a 60% do volume total da nossa produção. Antes, todo este café era destinado ao mercado internacional, mas nosso objetivo é dirigir parte do volume ao mercado interno. O consumidor brasileiro tem buscado por estes cafés diferenciados e queremos atender esta demanda”, explicou Oliveira.

Com a abertura das duas lojas, uma na Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa Minas), unidade Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), e uma no bairro Fernão Dias, em Belo Horizonte, a expectativa é comercializar, até o final do ano, cerca de 800 sacas de 60 quilos de café no mercado interno.

“Queremos divulgar a nossa marca, que ainda não é conhecida no mercado interno, e também levar para o consumidor a qualidade do café, que nós brasileiros ainda não temos tanto acesso. Com o aprendizado no mercado externo e seguindo a tendência dos mercados norte-americano e europeu, em focar no consumo de cafés especiais, nosso objetivo é oferecer este café diferenciado para o brasileiro”, disse Oliveira.

A abertura das lojas voltadas para o varejo fez com o Grupo Campos Altos passasse a atuar em todos os segmentos da cadeia, o que garante maior competitividade aos produtos disponibilizados para o mercado interno.

Além da produção do café in natura nas fazendas, o grupo reúne as empresas Café Campos Altos Exportação, Our Coffe Importadora (sede em São Francisco, nos Estados Unidos) e Café Campos Altos Torrefadora.

Da fazenda à mesa -  “Ao atuar em toda a cadeia conseguimos efetuar as vendas diretas, sem atravessadores, o que gera custos menores e faz com que nosso café chegue aos clientes com preços mais acessíveis. Promovemos a conexão direta entre a fazenda e os consumidores do nosso café”, explicou o vice-presidente da Our Coffe Imports, Ronaldo Azzi.

A linha de cafés destinada ao mercado interno é composta por cápsulas, café torrado e moído e café torrado em grão. O valor médio do café torrado e moído, embalagem de 500 gramas, é de R$ 25, e as cápsulas serão vendidas, em média, a R$ 1,90.

“Nosso objetivo é ter o processo de ponta a ponta, entregando o café aos consumidores sem atravessadores. As centrais de distribuição são voltadas tanto para o consumidor final como para redes supermercadistas, cafeterias, hotéis, entre outros. Nossas expectativas são positivas e para 2019 pretendemos, pelo menos, dobrar o volume comercializado no País”, explicou Azzi.

O café especial do grupo é exportado para os Estados Unidos, Inglaterra, França, Argentina, Alemanha e Irlanda.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

18/08/2018
Melhoramento genético reúne produtores
ExpoGenética será realizada em Uberaba, entre 18 e 26 de agosto, com foco em qualidade e produtividade
18/08/2018
Blairo Maggi pede responsabilidade aos empresários
Representantes de 28 entidades do agronegócio reuniram-se na última quinta-feira (16), para avaliação do programa de desburocratização do Ministério...
18/08/2018
Exportações somam US$ 3,5 bi, alta de 8,3%
Brasília - Com certificado de sanidade e produzida com sustentabilidade, a carne bovina brasileira entrou em mais de 135 países, em 2017, totalizando 1,5 milhão de toneladas...
17/08/2018
VBP deve ter ligeiro recuo em Minas
Previsão para o ano é de R$ 57,6 bilhões, retração de 0,33% frente ao registrado em 2017
17/08/2018
ADM fecha acordo de compra de unidades da Algar Agro
São Paulo - A norte-americana Archer Daniels Midland (ADM) anunciou ontem que fechou um acordo para compra de unidades processadoras de soja da brasileira Algar Agro, braço...
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


18 de agosto de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.