Publicidade
22/10/2017
Login
Entrar

Agronegócio

12/01/2017

Carne bovina: valor exportado recuou 7% em 2016

Email
A-   A+
Em volume, as vendas externas somaram 1,4 milhão de toneladas, alta de 0,72% frente a 2015/Afrig/Divulgação
São Paulo - As exportações brasileiras totais de carne bovina - que consideram o produto in natura, industrializado, além de cortes salgados e miúdos - somaram US$ 5,5 bilhões em 2016, conforme dados divulgados ontem pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec). O montante representa recuo de 7% frente a 2015. Em volume, os embarques totalizaram 1,4 milhão de toneladas, 0,72% acima do registrado em 2015 (1,39 milhão de toneladas). O faturamento ficou abaixo da estimativa inicial da entidade, que era de US$ 7,5 bilhões.

De acordo com a Abiec, o cenário cambial, com a valorização do real ante o dólar, além de problemas conjunturais de importantes mercados para a carne brasileira - como Rússia, Venezuela, e Egito -, refletiram negativamente nos números de exportação do setor em 2016. Hong Kong, mais uma vez, liderou as importações de carne bovina brasileira, com 11% de aumento no volume comprado e de 5% em receita.

Outro grande destaque do ano foi a China, que ocupou a terceira posição entre os maiores compradores. Em 2016, dentre as categorias de carne exportadas pela indústria brasileira, a in natura liderou as vendas, com faturamento de US$ 4,3 bilhões e 1,1 milhão de toneladas embarcadas de janeiro a dezembro.

Leia também
Companhia investe em frango halal na Turquia


Em dezembro de 2016, o faturamento das exportações de carne bovina brasileira registrou US$ 455 milhões, alta de 7,4% em relação a novembro Já em volume, foram 113,4 mil toneladas, com alta de 13,8% se comparado com o mês anterior.

Para 2017, a Abiec estima recuperação nas exportações, com acréscimos no volume e faturamento. Novos mercados estarão no foco para este ano, como Coreia do Sul, Taiwan, Indonésia, Canadá, México e Japão. “Estados Unidos e União Europeia também estarão no centro das atenções para ampliarmos nossa presença”, afirmou, em nota, o presidente da Abiec, Antônio Jorge Camardelli.

Em dezembro do ano passado, a Abiec divulgou estimativas de US$ 6 bilhões e um total de 1,5 milhão toneladas, o que representaria aumento de 9% e de 7%, respectivamente, em relação a 2016. (AE)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/10/2017
Receita da agropecuária deve cair 8,6%
Estimativa é de que o setor apure R$ 53,99 bi neste ano em Minas Gerais, sendo R$ 34,38 bi da agricultura
21/10/2017
Cafés do Sul e Matas de Minas têm mais amostras no Coffee of the Year
Os 150 melhores cafés do Brasil já estão classificados para o Coffee of the Year 2017. Ao todo, foram avaliadas 239 amostras das doze principais regiões do País,...
21/10/2017
Preços podem estimular cultivo de tangerinas Murcott e Rio no Estado
O fim da safra da tangerina Ponkan somado à tendência de mercado apresentada em 2016 deve estimular a produção de tangerinas Murcott e Rio no último trimestre do...
21/10/2017
Previsão para pecuária é de queda de 0,3%
Com base nos dados de setembro, o VBP da pecuária de Minas Gerais, para 2017 foi estimado em R$ 19,6 bilhões, queda de 0,3%. A retração foi influenciada pelos resultados...
20/10/2017
União lança linha premium BonQ
Estratégia é oferecer queijos de qualidade diferenciada com preços mais acessíveis
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.