Publicidade
13/12/2017
Login
Entrar

Agronegócio

06/12/2017

CCPR vende Itambé para a Lactalis

Cooperativa adquiriu da mexicana Lala 50% e já negociou 100% das ações com o grupo francês
Michelle Valverde
Email
A-   A+
A prioridade na compra da participação da Itambé pela CCPR, em caso de venda da Vigor, estava prevista/Divulgação
Um dia após o Grupo Lala, maior empresa do ramo de lácteos do México, confirmar a venda de 50% das ações da Itambé Alimentos S.A para a Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais Ltda (CCPR), a cooperativa mineira anunciou que 100% da indústria será vendida para o grupo francês Lactalis. Em comunicado enviado, ontem, à imprensa, a CCPR anunciou que foi firmada parceria estratégica, que prevê a venda da Itambé para a Lactalis e o fornecimento de leite da CCPR para a Itambé. O valor da negociação não foi divulgado.

De acordo com o comunicado, “a parceria prevê a aquisição, pelo Grupo Lactalis, de 100% das ações da Itambé e um acordo de fornecimento de leite de longo prazo da CCPR para a Itambé com vistas a preservar e permitir o crescimento das bacias leiteiras de Minas Gerais e Goiás”.

Ainda segundo a CCPR, a estimativa é de que a aquisição pelo Grupo Lactalis seja concluída no primeiro semestre de 2018. A CCPR ressalta que a operação ainda está sujeita a avaliações, como por exemplo, a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A divulgação de que a Itambé será vendida ao grupo francês aconteceu um dia após o Grupo Lala confirmar a venda de 50% das ações da empresa para a CCPR, que assim passou a deter 100% do controle da indústria. Em comunicado, o Grupo Lala explicou que a CCPR exerceu o direito preferencial de aquisição das ações representativas do capital da Itambé, o mesmo que pertencia a Vigor Alimentos S.A, por um “valor implícito” de R$ 700 milhões.

O interesse pela recompra da Itambé, por parte da CCPR, aconteceu em setembro, quando o Grupo Lala entrou em acordo definitivo com o Grupo JBS e comprou a Vigor, incluindo a participação acionária de 50% da Itambé. A prioridade na compra da participação da Itambé pela CCPR, em caso de venda da Vigor, estava prevista no acordo firmado entre as empresas em 2013, quando a Vigor, que era controlada pela JBS, adquiriu 50% da Itambé da CCPR.

Leia também:
BNDES fará empréstimo à CBL Alimentos


Recursos e parcerias - Uma das prováveis fontes de recursos para a aquisição da Itambé por parte da CCPR seria proveniente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) via Codemig Participações S.A (Codepar). De acordo com a ata da assembleia geral extraordinária, realizada em 20 de setembro, e publicada no Diário Oficial de Minas Gerais em 28 de novembro, os acionistas da Codemig, tendo em vista os maiores interesses de desenvolvimento econômico do Estado, autorizaram a Codepar a “aportar o valor de R$ 587,02 milhões, seja através da aquisição de ações da Itambé Alimentos S.A ou através da celebração de instrumentos financeiros de dívida com a CCPR”.

Codemig – Sobre a participação da Codemig na aquisição da Itambé pela CCPR, a companhia informou, por meio de nota, que “a Codemig faz parte de um grupo de financiadores e investidores que está avaliando o investimento junto à CCPR, dentre eles gestores de recursos, bancos e outras empresas”.

Ainda em nota, a Codemig informou que “a última ata de Assembleia Geral, publicada no Diário Oficial de Minas Gerais em 28 de novembro, autoriza a continuidade dessa avaliação. Não faz parte da estratégia da Codemig realizar o aporte de recursos de forma isolada. A Codemig não realizou aportes de recurso dessa magnitude em anos recentes e está, no momento, avaliando o investimento parcial. Desse modo, é precoce falar em definição de valores”, finalizou.

Para o diretor-presidente da CCPR, Marcelo Candiotto, “este é um dia histórico para a CCPR que, após retomar o controle da Itambé, pôde escolher o melhor parceiro para o futuro. Estamos convictos de que nossa parceria com o Grupo Lactalis fará com que a Itambé retome sua trajetória de sucesso, crescimento e rentabilidade, beneficiando seus consumidores, as cooperativas associadas da CCPR e seus mais de 6 mil produtores de leite”.

Produção - A parceria entre a CCPR e a Lactalis é considerada importante para os produtores de leite de Minas Gerais. De acordo com o diretor da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Rodrigo Alvim, a CCPR sempre teve forte atuação no Estado e contribuiu para o desenvolvimento da produção mineira de leite.
“O melhor de tudo isso é que não acaba a CCPR, são 67 anos de atuação e a cooperativa faz parte da história da produção de leite em Minas e contribuiu demais para que o Estado se tornasse o maior produtor do País, com participação efetiva da Itambé no processo. O que mais agrada é a segurança de que a CCPR vai continuar, mesmo que não seja como indústria, mas que seja como cooperativa central captando leite em parceria com a indústria”, explicou.

Lactalis - Fundado há 84 anos na França, o Grupo Lactalis é o maior produtor de lácteos do mundo, com operações em 85 países, mais de 75 mil funcionários e receita superior a 17 bilhões de euros por ano. No Brasil desde 2011, o Grupo Lactalis atua com as marcas Batavo, Elegê, Parmalat, Président, Poços de Caldas e Balkis, entre outras. O grupo, que capta leite em todo Brasil, tem uma presença marcante no Sul do País, contando com mais de 10 mil produtores de leite no Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

13/12/2017
Governo federal lança selo de integridade
Objetivo do Mapa e da CNA é atestar que os alimentos brasileiros são produzidos com altos padrões de qualidade
13/12/2017
Importações de trigo pelo Brasil terão o maior volume em uma década
São Paulo - A importação de trigo pelo Brasil neste ano deverá atingir 7,2 milhões de toneladas, o maior volume em cerca de uma década, após uma...
13/12/2017
Área plantada de grãos crescerá, mas safra será menor
Brasília - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) atualizou ontem sua estimativa para a colheita de grãos na safra 2017/2018, mantendo a previsão de que, em...
13/12/2017
Para IBGE, retração no País será de 9,2%
Rio de Janeiro - O Brasil deverá ter, em 2018, uma safra de cereais, leguminosas e oleaginosas 9,2% menor do que a produção deste ano. O segundo prognóstico da safra...
12/12/2017
Centro-Sul investe mais no etanol
Vendas do biocombustível, usado nos tanques dos veículos, continuam aquecidas
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.