16/08/2018
Login
Entrar

Internacional

04/08/2018

China pode taxar Estados Unidos em US$ 60 bilhões

AE/Reuters
Email
A-   A+
São Paulo/Washington - O Ministério do Comércio da China anunciou que pretende impor tarifas entre 5% e 25% sobre US$ 60 bilhões em produtos importados dos Estados Unidos (EUA). Pequim afirma que sua medida é “racional e contida” e que a implantação ou não dela dependerá das ações dos EUA.

“Qualquer ameaça ou chantagem unilateral levará apenas à intensificação dos conflitos e prejudicará os interesses de todas as partes”, afirma um porta-voz da pasta em nota. “A China sempre acredita que a consulta em uma base de respeito mútuo, igualdade e benefício mútuo é um modo eficaz de resolver diferenças comerciais”.

O governo chinês diz que os EUA têm “repetidamente” provocado uma escalada nas tensões comerciais, “apesar dos interesses de empresas e consumidores” dos dois países. Nesse quadro, argumenta que precisou adotar medidas retaliatórias “para defender a dignidade do país e os interesses do povo, o livre-comércio e o sistema multilateral e os interesses comuns de todos os países do mundo”.

No início da semana, o governo do presidente Donald Trump disse que os EUA podem impor tarifa de 25% sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses.

Alerta americano – Após o anúncio chinês, o conselheiro econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, alertou o país oriental, ainda na sexta-feira (3), a não subestimar a determinação do presidente Donald Trump na disputa comercial entre as duas maiores economias do mundo, demonstrando pouca preocupação com a ameaça de Pequim de impor tarifas retaliatórias sobre US$ 60 bilhões em produtos dos EUA.

“É melhor não subestimar o presidente”, disse Kudlow em entrevista à Fox Business Network. “Ele permanecerá firme”.

A China anunciou tarifas retaliatórias sobre produtos norte-americanos, de gás natural liquefeito (GNL) a algumas aeronaves, e alertou para outras medidas, sinalizando que não recuará na guerra comercial com Washington.

Kudlow, que dirige o Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, disse que a China está cada vez mais isolada na arena comercial, com Washington se movendo em direção a acordos comerciais com a União Europeia (UE) e com o México.

“Estamos nos unindo com a União Europeia para fechar acordo com eles, então teremos uma frente unida contra a China, e eu acho que a maior parte de nossa equipe comercial lhe dirá que estamos nos aproximando do México”, destacou ele. “A China está cada vez mais isolada, com uma economia fraca”.

Os Estados Unidos chegaram a um acordo sobre o comércio, na semana passada, sob o qual Washington concordou em não colocar novas tarifas sobre as importações da UE, evitando possível arrecadação de 25% sobre as importações de automóveis que o governo Trump vinha considerando.

Kudlow também informou à Bloomberg Television que os Estados Unidos e a Europa estão fazendo progressos em suas negociações comerciais e poderão anunciar alguns acordos no próximo mês.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

15/08/2018
EUA ameaça com novas sanções e Turquia promete retaliar
Pressão americana é para que turcos libertem pastor
15/08/2018
Militares são presos suspeitos de ataque
Caracas - O procurador-geral da Venezuela, Tarek Saab, revelou, na terça-feira (14), que dois militares de alta patente foram presos por suposto envolvimento em explosões de drones...
14/08/2018
Argentina eleva taxa de juros para 45% para conter o dólar
Decisão ocorre após a crise na Turquia movimentar os mercados globais
14/08/2018
Erdogan culpa "terroristas econômicos" por crise
Ancara - O presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, acusou, ontem, “terroristas econômicos” de conspirar para prejudicar o país, ao divulgar informações...
11/08/2018
Rússia ameaça retaliar os EUA caso haja restrições a bancos
Russos temem efeitos de novas sanções sobre economia
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


15 de agosto de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.