Publicidade
21/11/2017
Login
Entrar

Internacional

21/10/2017

China prepara emissão de bônus em dólar

AE
Email
A-   A+
Última emissão do tipo foi realizado pela China há uma década/Divulgação
Pequim - A China selecionou dez bancos, incluindo quatro estrangeiros, para coordenar uma emissão de bônus denominado em dólares no valor de US$ 2 bilhões, que poderá começar a ser promovido já nos próximos dias, segundo uma fonte com conhecimento do assunto.

O Ministério de Finanças chinês pediu a Bank of China, Bank of Communications, Agricultural Bank of China, China Construction Bank, CICC, Citigroup, Deutsche Bank, HSBC, ICBC e Standard Chartered que organizem uma reunião de investidores em Hong Kong para quarta-feira (25).

Se for adiante, será a primeira emissão de bônus em dólares da China em mais de uma década. O lançamento deve ter início na quinta-feira (26), disse a fonte.

Na semana passada, Pequim anunciou que em breve lançaria uma emissão de US$ 2 bilhões em Hong Kong. A emissão será dividida por igual entre bônus de 5 e 10 anos.

Estatais - O crescimento do lucro nas companhias estatais da China acelerou entre janeiro e setembro, em uma mostra do papel do setor privado no apoio ao recente crescimento econômico no país. O lucro total das empresas estatais subiu 24,9% no período, na comparação com igual intervalo de 2016, acima da alta de 21,7% dos primeiros oito meses do ano, informou na sexta-feira o Ministério das Finanças.

O governo chinês atribuiu o resultado forte à recuperação do setor de aço e a melhoras no desempenho dos setores de metais não ferrosos, carvão, petróleo e transportes.
A China Mobile informou que registrou lucro líquido de 92,1 bilhões de yuans (US$ 13,9 bilhões) nos primeiros nove meses deste ano, uma alta de 4,6% na comparação com igual período do ano passado. A companhia conseguiu melhorar os resultados graças à forte demanda por serviços de telefonia móvel, mesmo em um ambiente de forte competição.

A China Mobile, maior operadora de celulares do país em número de assinantes, informou na sexta-feira os resultados. Em igual período de 2016, o lucro líquido havia sido de 88,1 bilhões de yuans.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) cresceu 5,5%, para 211,3 bilhões de yuans, de 200,4 bilhões de yuans em igual período do ano passado. A receita operacional da empresa foi de 569,5 bilhões de yuans, alta de 4,9% ante os 542,7 bilhões de yuans de um ano antes.

A empresa, que há tempos possui uma fatia dominante do mercado de telefonia móvel chinesa, afirmou que o total de assinantes ficou em 878 milhões no fim de setembro, com a receita média por usuário em alta de 0,8%, a 60,50 yuans.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/11/2017
Sem apoio, Merkel fala em novas eleições
Mesmo com o fracasso da coalizão que daria suporte ao seu governo, chanceler não pretende renunciar
21/11/2017
Queda na produção da Venezuela é preenchida por outros países
Houston/Dubai - Agora que o dilapidado setor energético da Venezuela está tendo dificuldades de cumprir a meta nacional de produção de petróleo estipulada pela...
21/11/2017
Presidente do Fed, Janet Yellen, renunciará ao conselho em fevereiro
São Paulo - A presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen, adiantou ontem que renunciaria ao cargo no conselho de dirigentes do BC, assim que seu...
18/11/2017
Comitê do Senado dos EUA aprova reforma fiscal
Texto é diferente do acatado pela Câmara de Representantes, mas tem a mesma meta, de cortar impostos
18/11/2017
VW aprova investimento de US$ 40 bi
Wolfsburg/Hamburgo - A Volkswagen aprovou na sexta-feira (17) um plano de investimento de 34 bilhões de euros (US$ 40 bilhões) para acelerar esforços para se tornar um...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.