16/08/2018
Login
Entrar

DC Turismo

21/04/2018

Cidades mineiras mantêm política para o setor de turismo

Informação é de diagnóstico feito no ano passado e divulgado pela Secretaria de Estado de Turismo
Daniela Maciel
Email
A-   A+
De acordo com com a Setur-MG, 86% dos municípios afirmaram possuir lei de turismo e 70% contam com plano municipal/Pedro Vilela/Divulgação
Diagnosticar as ferramentas de gestão turística e boas práticas executadas pelos municípios regionalizados é a missão do Censo Turismo 2017 realizado pela Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur-MG). O objetivo do estudo é compreender melhor a realidade de cada localidade, possibilitando a elaboração de estratégias para o desenvolvimento de políticas mais direcionadas aos municípios.

De acordo com o superintendente de Políticas do Turismo da Setur-MG, Rafael Oliveira, a pesquisa levantou dados a partir de cinco eixos fundamentais para o desenvolvimento sustentável do turismo: Organização da Política Municipal, Promoção Turística, Monitoramento e Pesquisa, Infraestrutura e, por último, Sustentabilidade e Participação Social.

No eixo Organização da Política Municipal os resultados foram positivos para os quesitos relacionados à política de repasse do ICMS critério turismo. 86% dos municípios afirmaram possuir lei municipal de turismo e 70% plano municipal de turismo. O fundo municipal de turismo foi apontado como existente em 81% dos municípios. De 2010 a 2017, o número de municípios que pleiteiam o repasse cresceu 103%.

No segmento Sustentabilidade e Participação Social, 78% dos entrevistados afirmaram possuir conselhos municipais de turismo e 51% planos diretores municipais do setor.

“A pesquisa mostra que nos critérios que foram trabalhados em forma de lei conseguimos resultados muito bons, como, por exemplo, na criação dos planos municipais de turismo.

Os resultados apurados são coerentes com o desenvolvimento da política de regionalização desenvolvida até aqui e mostram o impacto da política do ICMS Turístico na gestão municipal. Já em itens que vão além da obrigatoriedade observamos avanços, porém, bem mais tímidos, como no que diz repeito à sustentabilidade e participação social”, explica Oliveira.

Se o conjunto de ações estruturantes já tem um caminho bem traçado, o próximo passo é o fortalecimento da política nos demais eixos. Em relação à Promoção Turística, 68% dos respondentes afirmaram possuir banco de imagens e 55% sites promocionais dos destinos. Porém, ferramentas mais robustas como a realização de um plano de marketing foi apontada como existente por apenas 12% dos municípios. A disponibilização de informações também é um grande gargalo. Estruturas simples como um centro de atendimento ao turista não existem em 77,1% dos municípios. 56,6% dos respondentes afirmaram não existir material promocional do município.

Infraestrutura - Na parte de Infraestrutura, 52% destacaram que a sinalização turística do município é satisfatória e a sinalização geral dos demais serviços das cidades foi positiva para 42%.

“Precisamos reforçar a conscientização sobre o papel do município dentro da política para o turismo. As pessoas desembarcam nas cidades, são nelas que elas são bem ou mal atendidas e criam o desejo de voltar e de conhecer outros destinos no Estado. Por isso precisamos tornar a chegada e a locomoção do turista o mais fácil possível, agregando valor àquela experiência”, afirma o superintende de Políticas do Turismo da Setur-MG.

Monitoramento - O maior ponto de atenção foi detectado no eixo de Monitoramento e Pesquisa. Observou-se que os municípios ainda enfrentam obstáculos para um levantamento eficiente de informação, tais como obter dados do perfil dos turistas ou número de empregados do setor, em que apenas 13% e 6,7% dos municípios afirmaram possuir um monitoramento.

“É importante para que todos os municípios se desenvolvam para que o turismo seja uma atividade econômica relevante. Para que isso aconteça é preciso coletar e trabalhar as informações de maneira estratégica. Faz parte do desafio da Setur-MG repassar expertise e metodologia para os municípios. É com base em um trabalho bem fundamentado que vamos garantir a continuidade e valorização das políticas públicas para o turismo no Estado independentemente de possíveis trocas de governo. Por isso todos os dados são disponibilizados gratuitamente no site do Observatório (https://www.observatorioturismo.mg.gov.br/) para gestores, pesquisadores, estudantes e todos que tenham interesse em conhecer e trabalhar no turismo em Minas Gerais”, destaca o gestor.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

11/08/2018
Poços de Caldas está entre as cidades mais procuradas
Município do Sul de Minas ficou em 13º em ranking nacional
11/08/2018
Belo Horizonte terá desafio para startups do setor
Belo Horizonte será palco de um desafio inédito que envolve os setores de inovação e turismo. Criado pela Belotur em parceria com o Serviço de Apoio às...
11/08/2018
Conselho nacional elabora propostas
Integrantes do Conselho Nacional do Turismo (CNT) reunidos na última semana, em Itupeva (SP), aprovaram o documento a ser entregue aos presidenciáveis com as principais...
11/08/2018
Inscrições abertas para concurso internacional
A Organização Mundial do Turismo (OMT), em parceria com o grupo ibero-americano Globalia, realizam o 1º Concurso de Startup de Turismo da entidade. O objetivo é...
01/08/2018
Confins está entre os melhores aeroportos do País
Terminal administrado pela BH Airport ficou em terceiro lugar em ranking do Ministério dos Transportes
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


15 de agosto de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.